Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Avaí demite o técnico Geninho

Treinador não resistiu a um jejum de doze partidas. Ainda não há um substituto na Ressacada
Por Redação Florianópolis, SC, 17/06/2019 - 23:19Atualizado em 17/06/2019 - 23:23
Foto: André Palma Ribeiro / Avaí FC
Foto: André Palma Ribeiro / Avaí FC

Geninho não é mais técnico do Avaí. A demissão do treinador foi confirmada na noite desta segunda-feira, 17, pela diretoria avaiana. Com ele, o Avaí não vencia havia doze jogos e o time está em último lugar na Série A do Brasileiro. Ainda não venceu no campeonato.

A demissão ocorre um ano e 28 dias depois do início desta segunda passagem dele pelo clube. Nesse período, foram 32 jogos, com 13 vitórias, 9 empates e 10 derrotas, com um acesso à Série A e um título de campeão catarinense. Na soma dos dois ciclos dele, foram 111 partidas, com 45 vitórias, 34 empates e 32 derrotas.

Na partida diante do Vasco da Gama pela Copa do Brasil, no dia 10 de abril deste ano, no Estádio da Ressacada, o técnico completou 100 jogos à frente do Avaí, sendo homenageado pelo clube pelos serviços prestados. Na oportunidade, Geninho recebeu das mãos do presidente Francisco José Battistotti, uma camisa oficial com o número 100.

“Geninho nos ajudou muito em suas duas passagens, conquistando acessos e o título de Campeão Catarinense deste ano. Deixa as portas abertas para um dia retornar ao Avaí, quem sabe como CEO do futebol. De imediato, estamos trabalhando, junto com o Departamento de Futebol, para definirmos o novo treinador e anunciá-lo o quanto antes”, comentou o presidente Battistotti.

“Tenho muito carinho pelo Avaí e uma amizade muito grande pelo Battistotti. Acredito que com a minha saída, o novo treinador conseguirá ter sucesso. Sei do potencial desta equipe e da força que tem o Avaí”, disse Geninho, que tem 53 anos de carreira, 20 como goleiro e outros 33 como técnico, com um título brasileiro e passagem pelos grandes clubes nacionais.

“Só tenho a agradecer toda diretoria do clube, comissão técnica, atletas, funcionários, torcidas,  amigos que fiz e ao povo de Florianópolis, que sempre me trataram com muito carinho e respeito”, disse Geninho.