Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

A persistência é a chave para o sucesso, diz Frank Hobold

Diretor da Plasson foi o entrevistado deste fim de semana do Nomes & Marcas
Erik Behenck
Por Erik Behenck Criciúma - SC, 23/06/2019 - 15:36

Ele foi presidente do Conselho Deliberativo do Bairro da Juventude e conduz uma das maiores empresas do ramo agropecuário no país. Gilberto Francisco, o Frank Hobold, foi o entrevistado deste fim de semana do Nomes & Marcas. Até em seminário ele chegou a estudar e por pouco não se tornou padre.

“Eu acho que marquei lá, porque depois várias vezes me procuraram para retornar, mas não. Forquilhinha sempre teve bons exemplos, era chamada de terra fértil, já que teve boas vocações. A minha turma foi uma das mais férteis, se formaram vários padres e inclusive dois deles se tornaram bispos”, contou.

Quando voltou para Forquilhinha, já aos 17 anos de idade, passou a ajudar seu pai e estudar na antiga Fucri, atual Unesc, no curso de Administração. Passou por diferentes empresas e está há 39 anos no setor de agricultura. Acredita que tenha conseguido uma visão ampla sobre os negócios, já que atuou em diferentes setores. O grande pulo veio no meio dos anos 90.

“Em 1996 aconteceu no Brasil uma busca por automatização de granjas e tinham duas fabricantes mundiais importantes dos bebedouros automáticos, uma da Alemanha e uma de Israel, que era a Plasson. A Sadia decidiu dar um implemento grande e buscou a Plasson. Eles já me conheciam de feiras de negócios, então me procuraram para ser um consultor”, lembrou Frank.

A Sadia só toparia a parceria se a Plasson montasse uma empresa no Brasil. Primeiro os israelenses pensavam em abrir a sede em Curitiba, mas acabaram convencidos de fazer em Criciúma. No começo os itens vinham praticamente prontas de Israel. No começo era complicado, alguns dias passavam sem nenhuma ligação e uma questão foi importante.

“A grande questão é a persistência, as pessoas desistem muito cedo. Se olhar os nossos primeiros cinco anos, era para ter desistido”, disse o diretor-geral da Plasson. Hoje a empresa tem 600 colaboradores diretos e fabrica 95% dos produtos. É considerada a maior filial da empresa no mundo, sendo uma referência para outras subsidiárias.

Plasson Solução Total

Ele acredita que uma instalação correta colabora em 50% para o funcionamento dos produtos. E de olho no mercado surgiu a Plasson Solução Total. “Nós entregamos chaves em mãos. Nós construímos galpões. Nós percebemos que o mercado estava migrando para comprar de um só fornecedor, isso em vários países e que aqui seria tendência”, revelou.

Bairro da Juventude

Pensando que era necessário buscar novos desafios, Frank Hobold esteve por anos à frente do Conselho Deliberativo do Bairro da Juventude. “Quando a cabeça tava quente eu ia lá para o Bairro da Juventude, que era uma fonte inspiradora. O que move é estar com a comunidade e é uma forma de agradecimento”, concluiu.