Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

A ducha de água gelada que o Galo tomou

Concórdia tomou virada e treinador reconheceu falhas da equipe no Heriberto Hülse
Denis Luciano
Por Denis Luciano Criciúma, SC, 22/01/2020 - 21:49Atualizado em 22/01/2020 - 21:51
Foto: Caio Marcelo / Criciúma EC
Foto: Caio Marcelo / Criciúma EC

"A ducha de água gelada veio na forma como tomamos o segundo gol". Assim o técnico Celso Rodrigues definiu o revés do Concórdia na noite desta quarta-feira, 22, 2 a 1 para o Criciúma no jogo inaugural do Campeonato Catarinense de 2020.

"Falei para os jogadores controlarem a ansiedade. Foram dois tempos bem distintos, primeira etapa organizada, controlamos o jogo com a bola e sem, sempre bem posicionados, criamos as oportunidades, tivemos chances do segundo gol mas erramos no acabamento", analisou Celso. "Nossa concentração tinha que ser melhor do que foi na primeira etapa, para a gente suportar essa pressão", emendou.

Ainda assim, o treinador gostou do que viu no Heriberto Hülse. "Gostei muito da minha equipe, tendo marcação mais alta e precisão. Foi um pouco abaixo em não ter a calma e tranquilidade no último passe, para sair com uma condição clara de finalização e sair com resultado positivo. É o que viemos buscar aqui", destacou.

O Concórdia saiu na frente, com gol de Moisés, cobrando pênalti no primeiro tempo, mas o Criciúma virou na etapa final com gols de Jajá e Carlos César.

O Galo do Oeste volta a campo no sábado, às 17h, em casa, no estádio Domingos Machado de Lima, contra a Chapecoense.