Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Ei, esse lugar é meu!

Letícia Zanini
Por Letícia Zanini 18/01/2018 - 07:05Atualizado em 18/01/2018 - 13:55

Como vocês sabem, o que escrevo aqui, extraio da realidade da vida, das minhas observações ou do meus clientes. Essa história aconteceu recentemente, eu estava no shopping e, enquanto almoçava, observava o que acontecia ao meu redor. E, na mesa ao lado, havia um senhor e uma criança. O senhor sentou e a criança olhou para ele e disse: “- Ei, esse lugar é meu!” e, então, o pai ou avô do menino levantou-se rapidamente, obedecendo às ordens do pequenino mandão. A partir daí comecei a viajar e vieram as reflexões.

A primeira reflexão é que aquele menino vai crescer e encarar o mercado de trabalho, lugar onde pessoas não deixarão suas cadeiras por nada, como ele vai reagir? Vai gritar ou, talvez, se frustrar diante de um pedido, ou melhor, uma ordem não atendida. Fazendo uma comparação com o quê vejo nas empresas, esse menino no mundo adulto é aquele que não aceita receber um não, não recebe bem feedbacks, não digere que o outro faça ou pense diferente. Lembraram de alguém? Tenho certeza que sim!

A segunda reflexão é a da permissividade excessiva na educação de alguns. Sim, é mais cômodo aceitar do que ver a criança fazendo um escândalo. Sim, é mais fácil entregar o Ipad e deixar seu filho ficar calado enquanto você se diverte na TV ou no restaurante, e por aí vai. Sim, é mais cômodo, só não sei se será o melhor para o futuro. Pessoas precisam de limites. E, dizer um não bem sustentado é muito mais produtivo para a construção de um adulto mais maduro e colaborativo.

Quanto mais atendo empresas, mais vejo comportamentos da infância retratados no cenário adulto. Por isso, da próxima vez que seu filho lhe der uma ordem, independente do que os outros forem pensar, use sua autoridade de pai. Não é porque você ama seu filho que precisa realizar todos os seus desejos. É preciso que se compreenda desde cedo que todo e qualquer espaço se conquista com decência, esforço, disciplina e competência e não com imposições. Aliás, os gestores de RH irão lhe agradecer.

4oito

Deixe seu comentário