Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui

Podcasts

André Freitas vai escalar o Everest (20/03/2018) / 18050

Escalar os 8.848 metros do Monte Everest é considerado um dos maiores desafios para os seres humanos. Localizado na Cordilheira do Himalaia, na Ásia, já foi vencido por 16 brasileiros, e o empresário e triatleta André Freitas quer ser o primeiro catarinense a completar a expedição. Ele participou do Programa do Avesso, da Rádio Som Maior e embarca para a viagem já na sexta-feira (23). A expectativa é de dois meses para subida e descida.

Freitas tentou escalar o Everest pela primeira vez em 2014, mas foi impedido por uma avalanche, matando 16 alpinistas. "Nosso cronograma era para estar no local da avalanche no dia que aconteceu. Mas nossa equipe atrasou em um dia", contou.
André Freitas no Programa do Avesso



Uma expedição custa aproximadamente US$ 30 mil, sendo necessário a contratação de um seguro, que dura cinco anos. De acordo com Freitas, a taxa de morte no Everest é de 4%, sendo que 28 corpos estão na montanha. “Tem um que a gente passa por ele e parece que está dormindo, com dois tubos de oxigênio”.

Além de triatleta, André Freitas é piloto de helicóptero há dez anos. Segundo ele, é necessário pegar cinco aviões até chegar no momento da escalada. A expedição que começa na sexta-feira será composta por aproximadamente 50 pessoas, na maioria por norte-americanos e alguns europeus, que serão divididos em três equipes. A roupa utilizada é feita com penas de ganso e sob medida, pesando 5 kg. “Geralmente quem vai para o Everest tem muitas décadas de escalada, então é o desafio final”, afirmou.

A possibilidade de ter um edema cerebral ou pulmonar durante a escalação é grande, então levam diversos medicamentos. Os guias são os xerpas, um povoado da região mais alta do Nepal, sendo que alguns deles já chegaram ao topo até quatro vezes.

Como parte da preparação para a expedição, participou do Ironman, com 180 km de ciclismo, 42 km de corrida e 3,8 km de natação. "Meus tempos são de 15 a 17 horas, os campeões fazem 8h30min. Eles se dedicam àquilo, meu tempo tem aumentado, mas tudo programados", lembrou o alpinista.

Sua primeira escalação foi em junho de 2013, no Monte Rainier, com 4.000 metros, chegando ao cume. No mesmo ano tentou escalar as montanhas bolivianas Huayna, de 6.000 metros e Hilimany, de 6.500 metros, mas não completou por sérios problemas intestinais.

André Freitas faz aniversário no dia 14 de maio, e a expectativa é atingir o cume no dia 13. Ele planeja levar até um chapéu para comemorar a data. O alpinista conhece as dificuldades e promete divulgar toda a trajetória no Instagram. “Eu sei dos meus limites e penso que não vai acontecer comigo”, garantiu.