Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Volume menor, menos transtornos

Por Bruna Borges Criciúma, 18/01/2019 - 07:21
Daniel Búrigo / A Tribuna
Daniel Búrigo / A Tribuna

Era mais cedo ontem quando o céu voltou a ficar escuro e fez os criciumenses relembrarem os transtornos que o temporal causou à cidade na última terça-feira. Por volta das 15h a chuva começou a cair e durou aproximadamente 40 minutos. Diferente do que aconteceu no início da semana, dessa vez os problemas de cheias foram bem menores e apenas algumas ruas ficaram com lâminas d’água. 

Na região do Terminal Rodoviário Algemiro Manique Barreto, no Centro, não houve alagamento ontem, mas a Defesa Civil esteve na Rua Gonçalves Ledo, a pedido de moradores e comerciantes, para verificar uma situação. Parte do asfalto cedeu e está jorrando água dos canos que passam por baixo da estrada.

“Tem uma obra de construção aqui na rua e a gente percebe que o rejeito está indo para o Canal Auxiliar e para as bocas de lobo. Em consequência disso, deve estar entupindo as bocas dos canos. Isso nunca aconteceu, estamos há quase dois anos aqui na rua”, comenta Estevão Huppes, que tem uma empresa na rua. 

Na terça-feira toda aquela região ficou tomada pela água e acendeu o alerta para a obra da travessia de pedestres que a Prefeitura irá construir para que as pessoas possam atravessar a Avenida Centenário em direção à rodoviária em segurança. A ideia é de que os carros passem por baixo e os cidadãos passem por cima. 

Antes, porém, de construir essa passagem, a Administração Municipal pleiteia um recurso via Governo Federal para colocar em prática um projeto para escoar a água das chuvas no Bairro Comerciário e arredores. “Esse projeto vai resolver esse problema ali na Rodoviária”, garante a secretária de Infraestrutura, Planejamento e Mobilidade Urbana, Kátia Smielevski. 

Motoristas e Prefeitura precavidos

Choveu menos e, consequentemente, foram menores os problemas registrados pela cidade. Na região central, nas ruas João Cechinel e Sete de Setembro, onde na terça-feira foram registrados alagamentos, dessa vez somente alguns pontos apresentaram cheias. Ainda assim, quando o céu começou a escurecer, todos os motoristas retiraram seus veículos que estavam estacionados nessas ruas. 

Também houve registro de água cobrindo pista nas ruas Lauro Müller e Itajaí, no Centro, Rua Gonçalves Dias, no Pio Corrêa, e Rua General Osvaldo Pinto da Veiga, na Próspera. Essa última via, inclusive, deve ter seus transtornos diminuídos nos próximos dias, já que a Prefeitura iniciou o processo de desassoreamento do Rio das Antas.

“Essa semana foi iniciado a roçada no Rio das Antas, já que o nível do rio ainda está muito alto. Depois ele vai passar pelo processo de retirada de todos os resíduos do leito do rio. Ali o trabalho tem que ser feito todo de forma manual, mas nós temos uma equipe contratada somente para isso e só vamos sair de lá quando estiver finalizado”, declara a secretária Kátia.

A limpeza em bocas de lobo por todo o município, que começou na própria terça-feira, após o temporal, também segue sendo realizada pelas equipes da secretaria de infraestrutura.