Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

VIVA MAIS – A fisioterapia contra o câncer de próstata

Fisioterapeuta fala sobre sequelas, regiões tratadas e vida sexual
Por Erik Behenck Criciúma - SC, 30/11/2017 - 17:18Atualizado em 30/11/2017 - 17:26

Novembro está chegando ao fim, mas a campanha Viva Mais não acaba aqui, os homens devem conversar com seus familiares e cuidar da saúde. A entrevistada da vez foi a fisioterapeuta Marieli Soares Graciano, que falou sobre o tratamento do câncer de próstata, o pós-cirúrgico, as regiões tratadas e a manutenção da vida sexual.

1 – O papel da fisioterapia no tratamento do câncer de próstata

Marieli Graciano: Alguns pacientes já procuram a fisioterapia antes mesmo de passar pela cirurgia da prostatectomia radical, ou seja, a retirada dessa próstata. Na verdade ele pode conversar com o fisioterapeuta e saber todas as sequelas que possivelmente pode acontecer depois da cirurgia. 
A cirurgia é um pouco delicada, vai mexer numa região extremamente intima, muito importante pros homens, porque a sexualidade e todo o funcionamento da região intima do homem é importante para sua vida e alguns homens então vem encaminhados justamente através de seu médico, para tratar toda e qualquer sequela pós-cirúrgica.

2- Quais as principais sequelas do tratamento e do pós-cirúrgico de um câncer de próstata?

Marieli Graciano: A principal sequela é a incontinência urinária, que é o escape de urina involuntário, o homem fica perdendo urina e incomoda bastante, muitas vezes ele precisa estar de absorvente ou de fralda. São muitas fraldas ou absorventes ao dia, um escape diurno e noturno e isso atrapalha bastante, tanto a questão do cheiro, da autoestima, deprime muito os homens, porque usar absorvente, ter incontinência urinária, atrapalha o dia a dia, a qualidade de vida, a vida social, a pessoa não pode sair, fica bastante abalada. 
A outra sequela é a impotência, ou seja, a disfunção erétil, aquela dificuldade de manter a ereção e de ter uma boa ereção, a sexualidade também é outro fator deprimente, muitos homens ficam bastante abalados, as vezes não ficam incontinentes, mas ficam com disfunção na ereção, e as vezes os dois problemas associados, então a fisioterapia vai tratar justamente essas sequelas.

3 - E como funciona o tratamento? Quais são as regiões tratadas?

Marieli Graciano: A parte pélvica de um homem é importante desde que ele começa a sua sexualidade, é o homem que normalmente se movimenta mais durante a relação sexual, tem que ter um padrão forte, uma boa musculatura pélvica, toda uma questão de ossos, os movimentos da pelve, e a sexualidade deve ser mantida por um bom tempo. 
Enquanto o homem tiver uma boa sexualidade, ele mantem a região fortalecida, vascularizada, oxigenada. Então a sexualidade é importante, toda essa fisioterapia pélvica vai envolver esse conjunto, tanto ossos, músculos, ereção, incontinência e a parte também da função intestinal, os homens que são constipados ou tem diarreia em excesso também podem ter algumas alterações. 

4 - A fisioterapia pós-cirúrgica é um tratamento longo?

Marieli Graciano: Alguns homens passam ainda por tratamento pós-câncer, pós-cirurgia. A radioterapia, a quimioterapia, a parte dos hormônios, ele fica debilitado pela questão da testosterona, então existem também as injeções, e isso debilita bastante o homem, o homem na verdade precisa continuar o tratamento da fisioterapia por um longo prazo, e aos poucos ir recuperando a função urinária, a função intestinal, porque muitas vezes o homem pode ter um outro tipo de câncer associado, as vezes já teve um câncer de reto, câncer de tireoide.
O câncer precisa ser rastreado, monitorado através dos exames e o fisioterapeuta acompanha tudo isso. As técnicas não doem, o tratamento é fácil, totalmente direto na pelve, mas é um tratamento que surte um efeito maravilhoso, então os objetivos do tratamento são alcançados, esse homem melhora essa função urinária, para de perder urina e corrige essa disfunção, a sexualidade também vai melhorar, as vezes é o último passo, mas vai melhorando junto com o tratamento. São técnicas especificas, tratamentos modernos que trazem conforto para o homem após esse grande problema.

5 - Uma vida sexual ativa ajuda na manutenção da saúde?

Marieli Graciano: A parte da ereção mantida, e a parte de toda a ereção mantida regularmente é um fator que tem sido estudado para manter a saúde da região pélvica. Então o homem precisa sim ter uma atividade sexual regular, porque isso vai manter a musculatura do assoalho pélvico ativa, forte, bem oxigenada, bem fortalecida no sentido de ter músculos mais eficientes. Então acredita-se sim que a sexualidade, seja ela prazerosa, regular, ajude muito a manter a saúde da região.