Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Vereadores mirins de Criciúma trabalham a cidadania e a consciência política

Dois dos 17 vereadores participaram do programa Ponto a Ponto da Rádio Som Maior 
Por Vitor Netto Criciúma - SC, 14/11/2019 - 18:25Atualizado em 14/11/2019 - 18:30
Foto: Amanda Farias
Foto: Amanda Farias

Na última semana 17 vereadores mirins foram eleitos em Criciúma. Eles tomam posse em fevereiro de 2020 e iniciam os trabalhos somente em março. Nesta quinta-feira, 14, dois dos 17 vereadores mirins estiveram no programa Ponto a Ponto com Pitty Búrigo e contaram um pouco sobre sua trajetória. Miguel Idalência Graci, da Escola Maria Angélica Paulo, e Lara de Melo Bressan, da Escola Antonio Colombo, ambos de 9 anos foram os que participaram do programa.  

De acordo com Miguel, que está no 3º ano, apesar de sua idade sempre teve a vontade de ser vereador. “Desde que eu estava na pré-escola eu queria ser vereador mirim, então eu vim me preparando para isso e agora estou pronto”, colocou. “Ele sempre quis ser vereador mirim, então falamos que quando desse para ser, nós iriamos fazer para dar certo”, comentou a mãe, Maria das Dores Idalência Grassi. 

Foto: Amanda Farias

Lara também sempre teve vontade de ser vereadora, e apesar da timidez está pronta para o trabalho. “Ela sempre foi uma menina muito criativa e sempre gostou de participar das coisas da escola”, comentou a mãe, Rosinei de Melo Bressan. 

Foto: Amanda Farias

Conforme o vereador de Criciúma e responsável pelo projeto da Câmara Mirim, Aldinei Potelecki (PRB), pensamos que os jovens não tem interesse na política, mas o projeto já está na 6ª edição e essa é a prova que dá certo. “Dá oportunidade para nós identificarmos novas lideranças, independente da questão política, mostrar a cidadania e participação deles no meio e na comunidade”, comenta. 

Entre os trabalhos que os vereadores podem realizar está o de fazer indicações, requerimentos e moções de homenagens. “O projeto ainda não permite projetos de leis. Mas nada impede de eles mandaram para a Câmara”, acrescenta. “Eles fazem o trabalho de fiscalização e utilizam o espaço do horário político, que é quando eles podem ir à tribuna e trazer discussões para as sessões”, completa. 

Foto: Amanda Farias

Outro ponto destacado pelo vereador é o desenvolvimento que as crianças realizam dentro do projeto. “É incrível acompanhar eles do começo ao fim, de ver a evolução deles. Lá eles têm cursos de oratória, participam de encontros com vereadores mirins de todo o estado, capacitações e já trabalham a cidadania e a consciência do seu papel dentro da sociedade”, enfatiza. 

O mandato é de um ano e não tem reeleição. Alunos do 4º ao 8º ao podem participar.