Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Uma vitória do setor de eventos para tentar voltar a trabalhar

Segmento reforçou ao Estado as condições para retomar atividades. Vigilância e Secretaria prometeram uma posição até sexta-feira
Denis Luciano
Por Denis Luciano Florianópolis, SC, 19/10/2020 - 19:43Atualizado em 19/10/2020 - 19:45
Arquivo / 4oito
Arquivo / 4oito

A semana é de expectativa para o setor de eventos em Santa Catarina. Existe a possibilidade de uma flexibilização nas regras, em meio à pandemia de Covid-19, que pode levar à autorização para a retomada de eventos, mesmo em condições parciais na região sul. Foi o que ficou no ar a partir da reunião da tarde desta segunda-feira, 19, em Florianópolis, na qual estiveram representantes do setor de eventos de várias partes do estado junto com Federação Catarinense dos Municípios (Fecam), Ministério Público (MPSC), Secretaria de Saúde, Vigilância Sanitária, Corpo de Bombeiros e outros órgãos.

"Foi bem produtiva a reunião. Argumentamos tanto na parte de eventos sociais quanto casas noturnas e shows. Tivemos bastante relatos em relação a tudo o que está acontecendo na pandemia e no setor de eventos. O Estado se comprometeu em até sexta-feira nos dar uma resposta em relação às portarias 710 e 744", explicou Daiane Savi, que representa o setor de eventos no sul catarinense. "Quem sabe a gente possa retomar os eventos em Santa Catarina. Temos essa expectativa, desde sempre entendemos perfeitamente a Secretaria de Saúde, foi muito produtivo e gratificante eles escutarem o setor de eventos. Tinha um pessoal do oeste também na reunião, mais nós três aqui do sul, eles agora entenderam como realmente funciona e eles verificarem e perceberem que há coisas que podem ser mudadas. Quem sabe assim na sexta-feira possamos ter um resultado positivo, obedecendo as regras, eles vão ver a parte teórica, o que cabe, o que não cabe", destacou ela, em entrevista ao programa Ponto Final, na Rádio Som Maior.

As sugestões de regras para retomada parcial de eventos foram debatidas na reunião. "Foram comentadas as regras, sobre a retomada do nível laranja com um percentual menor, até para a gente poder trabalhar com datas, pois trabalhamos com datas tanto nas casas noturnas quanto nos eventos sociais. Distanciamento, álcool gel, medição de temperatura, isso tudo não mudou, são regras sanitárias. Questões de listas tanto no social quanto na noturna não mudou, vai ser cumprido. O que vai mudar é a unificação das portarias e pedimos a retomada para regiões no nível laranja. Na sexta será publicada uma nova portaria", salientou. "A gente entendeu perfeitamente como funciona, a gente sabe que chegou um momento que não há isolamento social, mas que agora o governo quer fazer algo para nos ajudar. De antemão eles viram a parte econômica do setor de eventos, a parte de alvarás, tudo o que envolve em relação ao segmento, eles também vão dar uma resposta até sexta-feira para mudar alguma coisa ou não, não só na retomada mas alvarás e tributos para o setor de eventos", emendou.

Ela lembrou que já há regramentos para retomada, com público limitado e em regiões nos estágios azul e amarelo no mapa de risco para Covid-19. O sul segue no laranja, no qual não é permitida a atividade do setor. "Hoje tem a portaria para eventos sociais com 40% no amarelo. Se essa semana mudar o mapa e viermos para o amarelo, podemos retomar eventos com essa condição. Na parte noturna, no azul com 50%. Mas está oscilando muito o mapa. A Amrec pode vir para o amarelo e daqui a pouco voltar para o laranja, daí teríamos que trancar tudo de novo. E podemos voltar para o vermelho, no qual não tem possibilidade alguma de trabalhar. A gente quer uma folga no laranja para a gente trabalhar e não precisar ter que parar novamente. E hoje eles entenderam que não existe diferença entre o evento social e o evento com venda de ingressos, foi uma vitória muito grande", finalizou.

Ouça a entrevista no podcast: