Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Um novo desafio na temporada

Criciúma estreia hoje na Copa do Brasil de olho na classificação e no dinheiro da próxima fase
Por Lucas Renan Domingos Criciúma, SC, 13/02/2019 - 07:21
Foto: Divulgação/Criciúma E.C.
Foto: Divulgação/Criciúma E.C.

O Criciúma inicia hoje mais uma etapa na temporada 2019. O Tigre dá uma pausa nos pensamentos na classificação no Campeonato Catarinense e passa a focar na Copa do Brasil. Competição importante, não só por ser um campeonato nacional, mas para os cofres do clube, já que a cada fase avançada, as equipes recebem cotas. O objetivo do Criciúma está traçado. O presidente Jaime Dal Farra já havia adiantado em um discurso aos jogadores na última semana: chegar pelo menos até a quarta fase, o que garantiria ao Tigre a quantia de R$4,5 milhões. O primeiro desafio é em Santarém, no Pará.

A delegação tricolor iniciou a viagem para o estado paraense já no domingo e hoje, às 20h, no horário de Brasília, e 19h no Pará, a bola rola para Criciúma contra o São Raimundo-PA. Será a primeira vez que o Tigre irá jogar no interior do Pará. Todas as outras onze vezes que jogou por lá foram em estádios na capital, Belém.

Independentemente de local, o Criciúma precisa, no mínimo de um empate para avançar na competição. Em caso derrota a equipe retorna para Santa Catarina já elimina. “Agora é mudar a chavinha pensando nesta competição que temos pela frente. Precisamos seguir bem nas duas frentes (Campeonato Catarinense e Copa do Brasil)”, comentou Doriva. “A Copa do Brasil é muito importante, é de âmbito nacional, então dá uma projeção grande. E ainda tem a parte financeira que é expressiva”, afirmou o técnico.

Adversário desconhecido

Se será a primeira vez que o Tigre jogará em outra cidade do Estado do Pará que não seja Belém, será também a primeira vez que o Criciúma enfrentará o São Raimundo-PA. As equipes nunca antes haviam se encontrado dentro de campo. Apesar de ser um adversário desconhecido, Doriva sabe que, justamente a questão financeira, que é o foco do seu time, pode tornar o Pantera, apelido do São Raimundo, uma forte equipe.

“Todos que jogam a Copa do Brasil, jogam valendo e para passar de fase. Com as cotas da Copa do Brasil os clubes conseguem organizar seus cofres”, ressaltou o treinador. É que, Criciúma e São Raimundo já ganham R$ 525 mil somente por disputar a primeira partida. Quem avançar, ganha mais R$ 625 mil. Os valores vão aumentando a cada nova etapa dentrod a competição.

“Todas as equipes tem sofrido para passar”, analisou Doriva. Ele tem razão. A citar como exemplo o Vasco e Corinthias, que empataram contra o Juazeirense e Ferroviário, respectivamente, e contaram com o regulamento para conseguir a classificação. “A gente sabe que não vai ter moleza”, disse.