Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui

Três bons exemplos vindos do Bairro da Juventude

Chalton, Macsuel e Paulo Rech passaram pela instituição e aproveitaram a oportunidade
Erik Behenck
Por Erik Behenck Criciúma - SC, 03/09/2019 - 09:58
O ex-aluno e hoje professor, Macsuel de Bona (foto: Luana Mazzuchello)
O ex-aluno e hoje professor, Macsuel de Bona (foto: Luana Mazzuchello)

Ao longo de 70 anos mais de 52 mil jovens passaram pelo Bairro da Juventude. Com cursos profissionalizantes e atividades culturais, três bons exemplos foram apresentados durante o Programa Adelor Lessa Especial, que esteve ao vivo na entidade. Um deles é o hoje advogado e ex-aluno do curso de Eletroeletrônica, Chalton Schneider.

"Foi ali que eu comecei a ter uma vida regrada, de começar a chegar no horário. Aqui tinha grandes aprendizados, nesse primeiro contato havia um acolhimento e um ensinamento para a vida", disse. Assim como ele, o hoje professor Macsuel de Bona viu sua vida mudar depois de entrar no Bairro da Juventude.

“Eu me formei em 2001 e comecei a trabalhar como eletricista, fui para uma graduação e no ano passado tive a oportunidade de retornar como profissional", comentou. "O pessoal bate muito na tecla de que o Bairro é um local de formação, é bem especial fazer parte de tudo isso", completou.

O terceiro exemplo de sucesso fruto do Bairro da Juventude é o hoje gerente executivo de projetos especiais do departamento nacional do Sanai, Paulo Rech. Segundo ele, é preciso que os jovens não desistam de estudar, já que é dessa forma a maior possibilidade para mudar o futuro e conseguir alguma coisa boa na vida.

"Estou em Brasília faz 14 anos, mas a vida toda acompanhando o Bairro da Juventude, eu entrei com 11 anos. Eu fazia o ensino técnico na Satc e estive na montagem da escola profissionalizante, comecei como estagiário, depois fui professor da escola e diretor, antes de sair do Bairro eu fui diretor financeiro", lembrou.