Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Tratamento de esgoto para 70% de Laguna

É o foco do investimento que Carlos Moisés lançou na cidade nesta sexta
Redação
Por Redação Laguna, SC, 24/10/2020 - 07:35
Fotos: Ricardo Wolfenbuttel / Secom
Fotos: Ricardo Wolfenbuttel / Secom

Na tarde desta sexta-feira, 23, enquanto na Assembleia Legislativa de Santa Catarina se decidiam os próximos passos do processo de impeachment, o governador Carlos Moises foi até Laguna inaugurar uma nova Estação de Tratamento de Esgoto (ETE).  A obra deve beneficiar, diretamente, 70% da população lagunense e toda a região com a melhora do meio ambiente.

A presidente da Casan, Roberta Maas dos Anjos, constatou que a estação tem 90% de eficácia no tratamento e que estudos estão sendo feitos para atingir próximo dos 100%. "Anteriormente o esgoto era lançado in natura no emissário submarino, o que afetava o turismo para os banhistas e também a pesca local, questões que refletem diretamente na economia da região", destacou.

Ponte do Pontal

O governador também falou de outras obras que estão sendo licitadas para o desenvolvimento da região. Obras como a ponte do Pontal, que trará maior conforto e segurança para os moradores da Ilha de Santa Marta e também ligará a SC-100 a regiões como Imbituba. Ação que promove o turismo e o desenvolvimento econômico.

Outra ponte mencionada foi a Ponte da Amizade que conecta Capivari de Baixo e Tubarão. “Governar é governar para diminuir o sofrimento das pessoas, é atender o cidadão”, disse Moisés.

Outros detalhes da obra da Casan

Depois de 10 meses de obras, está em operação o Emissário Terrestre que transporta o esgoto coletado na região do Mar Grosso até a Estação de Tratamento da Vila Vitória em Laguna. A nova rede amplia a segurança da operação de coleta e tratamento e deixa o emissário submarino como um sistema alternativo.

“Com gestão técnica e responsável, o Governo do Estado, por meio da Casan, está executando obras e projetos que elevam os índices de saneamento básico em Santa Catarina. Em dois anos, é aproximadamente R$ 1 bilhão em investimentos que levam também mais saúde e qualidade de vida para a população”, destacou Moisés.

Para implantar o Emissário Terrestre, a Casan investiu mais de R$ 2,1 milhões, com financiamento obtido junto à Caixa Econômica Federal. A obra, executada pela empresa Incosan, contemplou também a substituição de bombas da Estação Elevatória A, um novo gradeamento para conter a passagem de produtos sólidos, urbanização e paisagismo no local, pois se trata de uma área nobre localizada a apenas 100 metros da praia do Mar Grosso.

"Com o novo emissário, a coleta de esgoto vai diretamente para a Estação de Tratamento, daqui saindo como um efluente apto a retornar para a natureza", explicou a presidente da Casan, Roberta Maas dos Anjos.

A conclusão e interligação do Emissário Terrestre coincide com a emissão da Licença Ambiental de Operação (LAO) número 5.804. O documento emitido pelo Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina (IMA) atesta a regularidade técnica da operação do Sistema de Esgotamento Sanitário de Laguna, que beneficia os bairros Mar Grosso, Navegantes, Magalhães, Vila Vitória, Centro, Progresso, Esperança e Portinho. Atualmente, 69,94% da população urbana do município é contemplada com coleta e tratamento de esgoto.

Outro anúncio para a cidade é o início do Trato por Laguna, programa de fiscalização, vistoria e educação ambiental, que vai dialogar com a população. “O emissário terrestre, a licença ambiental e o programa 'Trato por Laguna' trazem mais segurança para a operação do sistema de esgoto do município, mais tranquilidade e qualidade de vida para moradores e veranistas e colabora, inclusive, com a economia da cidade, que vive muito em torno do turismo e da pesca", conclui a presidente da Casan.