Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Toda a logística do Criciúma é com ele

Na entrevista exclusiva do dia, o Timaço da Som Maior apresenta o trabalho de Tiago Neoti, o supervisor do Criciúma
Denis Luciano
Por Denis Luciano Criciúma, SC, 02/05/2019 - 15:48Atualizado em 02/05/2019 - 15:56
Jota Éder conversando com Tiago Neoti
Jota Éder conversando com Tiago Neoti

Para que tudo funcione bem dentro de campo, é preciso uma grande organização fora dele. E gente que faça isso. No Criciúma, esse é o trabalho de Tiago Neoti, supervisor de futebol do clube desde 2014. "A correria está na função de um supervisor", define ele. Tiago é o entrevistado do dia nesta quinta-feira pelo Timaço da Rádio Som Maior, no bate papo que vai ao ar a partir das 20h, no Arena Timaço, antes de Ponte Preta x Criciúma.

"O supervisor tem que estar ligado em todos os setores, futebol, RH, financeiro, a função é dar total condição de trabalho ao jogador, à comissão técnica, resolver problemas do cotidiano, que tem muitos, e deixar o jogador 100% focado em jogar bola", esclarece Neoti, na entrevista exclusiva ao repórter Jota Éder.

Quando o jogo é em casa, também tem muito trabalho. "A hospedagem no CT, horário de alimentação, de chegada de jogador, programação, controle de horários dos atletas, súmula, uniforme, receber o time adversário, documentação com o pessoal do registro, controle de cartões, tudo isso", resume o supervisor. Ele dá atenção muito especial ao controle dos cartões que cada jogador toma. "Todo dia eu olho o controle para ter 100% de atenção. Perder pontos, a gente tenta minimizar ao máximo o risco".

Outro ponto importante, que absorve bastante, é o rigor na cobrança dos horários de trabalho pelos atletas. "Esse ano está muito bom, grupo excelente, praticamente zero em atrasos", garante Neoti. "Em treinos cobramos uma hora antes, para o atleta chegar, passar na fisiologia, no DM se tem queixas". Mas já houve problemas. "Aconteceu algo a gente cobra em cesta básica, na caixinha, daí ajuda alguma instituição. Sempre para o atleta estar ciente do horário", explica.

Função redobrada nas partidas fora de casa. "A gente espera a tabela para, com um ou dois meses de antecedência, organizar a viagem, ver local para treinos, hotel, ver a alimentação, como a nutricionista não viaja eu tenho que supervisionar", refere. Alojar os atletas no mesmo andar dos hoteis é mais uma preocupação. "Todos no mesmo andar, se estão dormindo no horário. E fica um segurança no corredor para controlar, o horário de recolher deles é 22h30min", conta o supervisor.

Na entrevista, Neoti recorda um tumulto que ocorreu certa vez entre dois jogadores do Criciúma em uma concentração fora de casa. "Em 2015 em uma viagem a Maceió teve uma desavença entre dois atletas, foi cobrado na questão financeira, teve multa bem alta e na hora o que deu para fazer foi separar a confusão, tentar separar. Foi pós jogo. Cobrança de jogo, perdemos na época, um vai cobrar o outro, de cabeça quente, teve confusão", relembra.

Por partida, o clube recebe da CBF 30 passagens aéreas, dois dias de alimentação e dois de hospedagem em hotel. "Tem viagens mais longas e viajamos dois dias antes, daí fica um dia de despesa para o clube pagar. Pagamos também água, van para material na cidade, carro para doping que precisa, segurança, isso tudo por conta do clube", destaca.

Confira a entrevista exclusiva com o supervisor Tiago Neoti a partir das 20h, no Futebol Som Maior, e também no podcast abaixo.

A programação hoje:

20h - Arena Timaço

20h40min - Futebol Som Maior, com Mário Lima e equipe

21h - Ponte Preta x Criciúma

21h45 - Meio Tempo

23h - Toque Final