Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

“Tendência é que não se tenha redução da carga”, explica Luiz Wolf sobre reforma tributária

Consultor tributário ministra palestra na Acic
Por Leonardo Ferreira Criciúma, SC, 12/02/2020 - 08:59Atualizado em 12/02/2020 - 10:04
Foto: Assessoria de imprensa/Acic
Foto: Assessoria de imprensa/Acic

A reforma tributária é um assunto que está constantemente em pauta no Brasil. Para expandir o assunto, a Acic (Associação Empresarial de Criciúma) promoveu na manhã desta quarta-feira, 12, um diálogo com o consultor tributário Luiz Wolf, atuante há mais de dez anos na área.  

Em destaque para o encontro, o especialista explicou que o Brasil vive diferentes cenários para reforma tributária, com a PEC 45 sendo debatida na Câmara dos Deputado e a PEC 110 em pauta no Senado. Além destas duas propostas, o ministro da Economia, Paulo Guedes, também dialoga com os parlamentares. “A condução do assunto veicula hoje com uma maior responsabilidade da Câmara e do Senado. A tendência é que não se tenha redução da carga e sim uma redistribuição, para a infelicidade dos contribuintes”, afirmou.

Conforme Wolf, hoje a busca é por alinhar as propostas, já que cada uma é mais benéfica para diferentes setores do país. “As duas propostas se baseiam em linhas parecidas, com o Imposto sobre Operações com Bens e Serviços (IBS). Neste modelo, a reforma  unificaria os tributos, simplificando o recolhimento dos valores”, esclareceu.

O palestrante também destaca a influência da reforma no dia a dia do empreendedor e faz ressalvas. “Poderia sim ser positiva, porém é necessário fazer ajustes. O prazo de transição, por exemplo, é de dez anos convivendo com dois sistemas tributários. O ideal seria uma redução desta transição, o que geraria melhores resultados para a economia”, ressaltou.