Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Serviço Aeromédico agilizaria os atendimentos e custa pouco

Helicóptero do Saer estaria disponível para 50 municípios do Sul
Por Erik Behenck Criciúma - SC, 05/07/2019 - 12:27
(foto: Erik Behenck)
(foto: Erik Behenck)

Se cada um dos 50 municípios que utiliza o Serviço Aeropolicial (Saer) pagasse R$ 1.000 mensais seria possível instalar o Serviço Aeromédico. No domingo (7) haverá um treinamento na Avenida Centenário, com a simulação de um atendimento aéreo. No Jornal da Nove o vereador Tita Belloli e o médico Vanderlei Damin falaram sobre as vantagens deste serviço.

“Vai ser um momento único para a cidade de Criciúma. Nunca aconteceu um resgate aéreo. O helicóptero vai parar na Avenida Centenário e todos poderão ver”, comentou o vereador. Segundo ele, em Chapecó o sistema funciona com a utilização de sete médicos e três enfermeiros, no sistema de plantão.

Conforme Damin, se uma pessoa sofrer uma parada cardíaca, cada minuto passado é 10% a menos na chance de salvamento. Como médico do Samu ele enfrentou diversas situações onde a presença de uma aeronave era necessária, mas não existia. Na cidade, o Metropolitan auxiliaria a descida de helicópteros, assim como a construção do Santa Vita, que terá um heliponto.

“Eu acho que é um caminho sem volta. É muito rápido. O helicóptero para sair da base do Saer e ir até o Rincão vai levar 5 ou 6 minutos. Uma ambulância demora bem mais, ainda mais no verão, e ali vai ter um médico para fazer atendimento primário, algo que não tem em todas as ambulâncias”, destacou o médico. 

Damin lembrou ainda de locais com difícil acesso, principalmente durante tempestades. “Tem alguns lugares que chove e cai ponte, então fica difícil de chegar com veículos. A gente teria ainda mais recursos, com uma UTI móvel. A questão não é chegar e remover, mas prestar o atendimento para a vítima”, concluiu.

Tags: saúde saer