Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
4

Série C: Tigre tem aproveitamento superior a 2006, quando foi campeão

Desempenho nas três primeiras rodadas é considerado acima da expectativa pelo técnico Paulo Baier
Heitor Araujo
Por Heitor Araujo Criciúma, SC, 14/06/2021 - 20:14Atualizado em 14/06/2021 - 20:15
Tigre venceu o Ypiranga por 2 x 1 (Foto: Celso da Luz / Criciúma EC)
Tigre venceu o Ypiranga por 2 x 1 (Foto: Celso da Luz / Criciúma EC)

O Criciúma repete nestas três primeiras rodadas os melhores desempenhos obtidos na sua história na Série C, com duas vitórias e um empate. A campanha nesta temporada é melhor do que a de 2006, quando o Tigre foi campeão, e empata com os resultados em 2010, quando conseguiu o acesso, e no ano passado.

A diferença nesta temporada é que o Tigre passa por um processo de reformulação, sob o comando de Paulo Baier. O aproveitamento de 77,8% e a vitória por 2 x 1 contra o Ypiranga no último domingo, 13, rendeu elogios do comandante.

"O aproveitamento está além da expectativa. Tivemos dificuldades no início, até de entrosamento da equipe. Estamos vivendo um momento muito bom, com empate fora e sem perder em casa. Estamos no caminho certo", celebrou o técnico Paulo Baier em coletiva pós-jogo.

Os sete pontos em nove disputados colocam o Criciúma na vice-liderança do Grupo B da Série C, empatado com o Novorizontino, mas atrás no saldo de gols. Baier terá agora uma semana de treinamento para a próxima partida contra o Oeste, no próximo sábado, às 19h na Arena Barueri.

"São cinco jogos sem perder (contando os empates contra o América na Copa do Brasil), isso é importante, o Criciúma crescer aos poucos e a gente vai melhorar ainda. Agora vamos ter tempo para gente descancar, recuperar os atletas e dar continuidade ao nosso trabalho", projetou o técnico.

O Tigre disputa a Série C em 2021 pela quinta vez na história. Na primeira, em 2006, sagrou-se campeão. No entanto, o desempenho inicial foi abaixo do apresentado neste ano, com quatro pontos em nove disputados - derrota para o Brasil de Pelotas na estreia, por 3 x 2, vitória contra o Marcílio Dias por 3 x 2 e empate contra o Novo Hamburgo, 3 x 3.

Naquela temporada, a Série C era disputada em grupos de quatro equipes, com as duas melhores de cada chave avançando para novos grupos com quatro equipes e as duas melhores de cada chave compondo um hexagonal final. O Tigre avançou em segundo nas duas primeiras fases.

Na história do clube na Série C, o Tigre conquistou sete pontos nas três primeiras rodadas em duas temporadas: 2010 e 2020. Em 2010, iniciou empatando contra o Juventude, 1 x 1, depois venceu o Brasil de Pelotas e a Chapecoense por 2 x 0. Na chave com cinco equipes, o Criciúma terminou em primeiro lugar e passou pela etapa de mata-mata, conquistando o acesso contra o Macaé.

Já em 2020 a história foi diferente. Depois do bom começo, com um empate contra o Londrina, 0 x 0, e vitórias contra Boa Esporte e São Bento, ambas por 3 x 1, o Tigre teve dois empates consecutivos e foi derrotado pela primeira vez na sexta rodada, por 2 x 0 contra o Ypiranga. Foi o início da má campanha que quase culiminou com o rebaixamento: terminou a competição na oitava colocação do Grupo B, apenas dois pontos acima do São Bento, rebaixado. 

O pior início do Tigre na história da Série C foi em 2009: empate 1 x 1 contra o Marília e duas derrotas, 1 x 0 contra Caxias e Brasil de Pelotas. Foi também a pior campanha do Criciúma na competição: quarto colocado em um grupo com cinco equipes, com duas vitórias em oito jogos, aproveitamento de 29,1%, à frente apenas do Marcílio Dias, rebaixado à Série D.