Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Satc projeta próximo ano pensando em renovação

Instituição completará 60 anos em 2019
Por Redação Criciúma, SC, 30/12/2018 - 15:44

O ano de 2018 foi de transição, preparar professores e alunos para um novo jeito de se fazer ensino. Com o foco na inovação, aliando educação e pesquisa, a Satc irá completar 60 anos em 2019 com o objetivo de se renovar sem esquecer da história que construiu a instituição ao longo de seis décadas.

"A Satc estruturou, ao longo de 2018, um planejamento para o que será a escola em 2030. Começamos as ações na área de inovação, trazendo a Acate para Criciúma, junto com o Instituto Sapiens para um programa de capacitação dos professores, visando chegar em 2030 com uma entidade muito diferente do que é hoje, sempre alavancando as questões de inovação", explica o diretor executivo da Satc, Fernando Zancan.

Em 2019 o projeto será de solidificar as parcerias inovadoras e continuar investindo no ensino de qualidade. "Hoje a Satc já é a melhor faculdade do Sul de Santa Catarina em termos de desempenho junto ao MEC e queremos continuar a crescer na qualidade de ensino, agregando à plataforma 2030, uma plataforma de sustentabilidade, inovação e que leve o nosso aluno a estar ligado ao mundo 4.0, o mundo do século 21", ressalta Zancan.

Comemoração dos 60 anos

Em 2019 a Satc completará 60 anos e uma programação extensa está sendo planejada com o foco bem específico em três eixos: alunos, colaboradores e comunidade. "Com 60 anos temos de nos preparar para os próximos 60, mas precisamos celebrar também, pois foram anos que contribuíram enormemente para o crescimento socioeconômico da região e com isso vamos brindar a cidade com nomes de renome nacional e ex-alunos nossos. Um exemplo é o engenheiro da Tesla e que virá palestrar para os nossos alunos", conta o diretor executivo.

Nomes importantes da política nacional devem se fazer presentes para conhecer a cidade e também a instituição. "Nós já convidamos a vir conhecer a cidade o ministro de Ciências e Tecnologia (Marcos Pontes) e outras pessoas importantes para que também levem o trabalho que é feito aqui para o resto do Brasil", afirma.