Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Salvaro propõe criação de fundo para atender pessoas com doenças crônicas

Projeto visa arrecadar 10% do salário do prefeito e dos vereadores para o fundo
Vitor Netto
Por Vitor Netto Criciúma - SC, 05/12/2019 - 08:36Atualizado em 05/12/2019 - 08:40
Foto: Arquivo / 4oito
Foto: Arquivo / 4oito

O prefeito Clésio Salvaro (PSDB) rebateu as afirmações do vereador Ademir Honorato (MDB) sobre o caso da derrubada a lei de isenção de IPTU para pessoas com doenças crônicas. Conforme Clésio, essa é uma jogada para promover renúncia de receita, que é considerado crime de responsabilidade. Além disso, o prefeito propôs a criação de um projeto que destina 10% do salário do prefeito e dos vereadores para atender as pessoas com doenças crônicas. 

O prefeito acompanhou nesta quarta-feira, 4, em Florianópolis, o registro da Lei e a derrubada. De acordo com ele, a lei tem o interesse em tornar Clésio inelegível. "Talvez esse projeto esteja com mais importância no ponto político do que da origem mesmo. Para mim isso é oportunismo e interesse eleitoreiro", coloca. 

Conforme Clésio, o projeto acarretará a retirada de 30% da saúde, aproximadamente 26% da educação e também recursos da Ação Social. "Muitas vezes o vereador sente muito mais na pele o que a população passa do que o prefeito, mas o papel do vereador não é só fazer projeto de isentar isso ou aquilo. Tem que saber qual é o seu verdadeiro papel", comenta. 

Para sanar essa questão, o prefeito propôs uma medida para suprir e assistir as pessoas com doenças crônicas da cidade. "Vamos juntar o nosso trabalho e ajudar as pessoas. Vou apresentar um projeto na Câmara de Vereadores para 10% dos salários dos vereadores e do prefeito para ajudar essas pessoas", explica Clésio. 

Conforme ele, só irá procurar a sua assistência jurídica para verificar a possibilidade do projeto.