Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui

Receita de álcool em gel caseiro é perigosa

A mistura de substancias como gelatina e gel de cabelo deixam a superfície mais atrativa ao vírus
Por Beatriz Coan 26/03/2020 - 13:15

A pandemia do coronavírus tem causado uma grande busca por álcool em gel e o resultado foi a falta do produto nas prateleiras. Através de aplicativos de mensagens, diversas receitas caseiras de álcool em gel têm sido divulgadas. Elas incluem desde misturas com gelatina a gel de cabelo.

O jornalista Iberê Thenório, através do seu canal no Youtube “Manual do Mundo”, traz explicações sobre o porquê essas receitas não funcionam e podem ser até perigosas. Com mais de 13 milhões de inscritos, o canal traz vídeos educativos, principalmente de experiências cientificas. Já são mais de 10 anos traduzindo a ciência complicada e acadêmica para a compreensão de todos. E foi por meio de mensagens e comentários, que ele e sua esposa Mariana Fulfaro decidiram o assunto do vídeo.

Álcool + gelatina

Uma das receitas que tem sido espalhada pela internet é a que mistura o álcool com a gelatina. Ela seria responsável em dar a textura de gel ao álcool. Só que diferente do produto que é utilizado originalmente, a gelatina não vai evaporar junto com o álcool. Sua mão, além de ficar grudenta, se torna mais propicia às bactérias. Iberê lembra também que alguns laboratórios utilizam gelatina como meio de cultura de bactérias. Ou seja, ao invés de estar se protegendo, você estará atraindo mais microrganismos e possíveis doenças.

Álcool + gel de cabelo

Outra receita divulgada, que inclusive era a utilizada em uma fábrica clandestina fechada em Criciúma, mistura o gel de cabelo com o álcool. Assim como a gelatina, o produto para cabelo não evapora, deixa sua pele mais grudenta e aumenta a chance de contaminação. Além disso, não se sabe qual a reação dos produtos químicos presentes no gel de cabelo quando misturados com o álcool, podendo até mesmo anular a ação antibacteriana do álcool.

Manipular álcool a cima e 70ºINPM

Para o álcool ter efeito contra o coronavírus é necessário que ele esteja dentro de 60° a 70° INPM. Valores abaixo não são suficientes para eliminar o vírus das superfícies. Já valores maiores que 70° são difíceis de achar e a venda de alguns é até mesmo proibida. Por ser altamente inflamável e responsável por diversos acidentes e queimaduras, o álcool 92° foi tirado das prateleiras.

Solução para falta de álcool

A melhor opção para combater o coronavírus, eliminando ele das superfícies, é a agua e sabão. Essa dupla é mais econômica e tão eficaz quanto o álcool. O sabão tem propriedades que retiram a camada protetora do vírus, deixando ele vulnerável e em sequência destruindo-o.

Confira o vídeo com toda a explicação do jornalista Iberê Thenório:

Tags: coronavírus