Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Qual será o esquema da vez no Criciúma?

Para o confronto contra o Londrina, Cavalo tem as ausências de Sandro e Reis; técnico ainda não encaixou o time ideal no comando do Tigre
Heitor Araujo
Por Heitor Araujo Criciúma - SC, 11/11/2019 - 16:17Atualizado em 11/11/2019 - 16:24
Cavalo não repete o time há oito rodadas e terá novas alterações contra o Londrina (Foto: Arquivo)
Cavalo não repete o time há oito rodadas e terá novas alterações contra o Londrina (Foto: Arquivo)

Nem só de promoções vive o Criciúma. Com o preço promocional de R$ 10 reais no Heriberto Hülse consolidado, o Tigre prepara-se para enfrentar o Londrina nesta terça-feira, 12, às 20h30 no Majestoso.

Sem vencer há nove rodadas e sem repetir escalações há oito, Roberto Cavalo deve mais uma vez mexer na equipe, que vem de uma derrota dolorida para o Sport, por 1 a 0 – o gol marcado pelos pernambucanos veio em pênalti duvidoso aos 36 minutos da segunda etapa.

Para buscar a vitória contra o Londrina, o técnico terá a volta de Marlon, rei das assistências do Tigre na Série B. Por outro lado, tem o desfalque do atacante Reis, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, e do zagueiro Sandro, expulso contra o Sport ao tentar agredir um adversário.

Na zaga, surge como opção natural a volta da dupla Thales e Derlan; no ataque, é mais provável o retorno de Andrew para a função, com a volta de Carlos Eduardo para a lateral direita. Ainda aparecem como opções Reinaldo, Vinícius e Lukinha. As quatro opções somadas têm 1 gol na Série B - Vinícius, no empate contra o Brasil.

O treino desta segunda-feira pode indicar o time para enfrentar o Tubarão. Desde a partida contra o Figueirense, empate em 2 a 2 pela 31ª rodada, Cavalo vem alternando o esquema tático, sem conseguir os resultados positivos.

Contra o Figueira, apostou em um esquema com três atacantes. Na rodada seguinte, contra o São Bento, em casa, partida que não poderia escapar a vitória, optou por um sistema com três volantes e dois atacantes, o mesmo contra o Operário, em Ponta Grossa; já contra o Sport, na última rodada, tentou um esquema com três zagueiros. São duas derrotas consecutivas por 1 a 0.

Além das suspensões e lesões, Cavalo tenta achar uma dinâmica que promova o reencontro do Tigre com a vitória, o que ocasiona a constante troca nas escalações. Com pouco tempo para trabalhar, os três pontos não podem escapar contra o Londrina, um adversário direto na ainda palpável luta contra o rebaixamento.