Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui

Psicóloga ensina a como identificar um relacionamento abusivo

Comportamentos nocivos são presentes tanto em amizades, quanto em namoros e casamentos
Paulo Monteiro
Por Paulo Monteiro Criciúma - SC , 04/07/2020 - 09:03
Foto: reprodução
Foto: reprodução

Falar em relacionamento absuivo é, para muitas pessoas, sinônimo único de violência física. Acontece que os danos psicológicos acabam sendo ainda mais comuns e presentes em relações abusivas - sejam elas entre pessoas casadas, familiares, ou até mesmo amigos. Em entrevista ao Ponto a Ponto, a psicóloga Lúcia Moisés ensinou a como identificar um relacionamento abusivo. 

Lúcia ressalta que comportamentos do tipo podem acontecer tanto entre relaciomantos heteroafetivos quanto homoafetivos, mas utiliza como exemplo um casal heterossexual para a explicação. Segundo a psicóloga, o início do abuso, por parte do homem, é sútil, com comentários isolados que vão deixando a mulher cada vez  mais insegura.

"O homem não aconhece a mulher e já a espanca ou começa ser grosso. O que ele faz é começar devagar, conquistando-a, dando presentes e falando que a ama muito e, aos poucos, começa a envenenar a sua cabeça. Começa a dar motivos para a mulher se afastar dos amigos, amigas e familiares", disse a psicóloga.

Segundo Lúcia, homens abusivos em um relacionamento costumam deixar as mulheres em uma montanha russa de inseguranças. Isso porque, entre um comentário ofensivo e outro, há também alguns comportamentos de carinho e presentes para que não haja a ruptura de uma vez. "Quando ela começa a perder a voz e a se sentir inferior a ele, é que vem o maior sinal", apontou.

Com isso, o ciúme vai ficando cada vez mais explícito e abusivo: sem família, sem amigos, restrições e ofensas para tudo. A psicóloga afirma que os relacionamentos chegam nesse estado quando a mulher já passou por uma montanha russa de sentimentos, e agora se sente insegura e inferior. 

Mulheres que abusam 

Mulheres que abusam homens em relacionamentos heteroafetivos também são extremamente comuns, segundo Lúcia. A diferença é que, enquanto o homem pode chegar a abusar com violência física, a mulher utiliza da manipulação para se tornar abusiva. "Ela usa da manipulação. Antes de casar aceita tudo que o namorado fala: adora sua família, amigos, deixa ele sair para beber, jogar bola e tudo. Então eles casam e ela começa igualzinho ao homem: afasta ele dos amigos e da família, até restar só os dois", disse.

Nesses casos, segundo a psicóloga, o abuso quase nunca chegará a ser físico de fato. Ao invés disso, o homem vai se tornando cada vez mais inseguro e isolado de tudo e de todos.

Entre amigos 

Também é possível ver relacionamentos abusivos entre amizades. A grande diferença, no entanto, para relacionamentos amorosos, está no fato de que não há a grande "corrente" da separação, que impede muitos casamentos de acabarem. "Não é tão óbvios em amigos quanto em casais. Numa relação de amziade é mais súltil, porque ela não tem nada que dificulte a separação. Mas existem muitos casos, como aquela amiga que começa a envenenar a cabeça do outro e fazer, também, com que ele se afaste dos demais", afirmou.