Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Projeto propõe educação que ‘foge do tradicional’ no Bairro da Juventude

O programa “A União Faz a Vida” será lançado nesta segunda-feira às 14h e é uma parceria entre o Bairro, o Sicredi e a Unesc
Por Clara Floriano Criciúma - SC, 14/08/2017 - 10:54Atualizado em 14/08/2017 - 10:56

Nesta segunda-feira (14) o Sicredi Sul de Santa Catarina lança o programa “A União Faz a Vida” em parceira com o Bairro da Juventude. O lançamento acontece às 14h no Salão Paroquial Nossa Senhora das Graças.

“Este programa está sendo lançado hoje, mas tem mais tempo de vida do que a própria cooperativa. Nasceu em 1995 com a criação da Fundação Sicredi e lá foi detectado que a sociedade tinha pouco conhecimento sobre cooperativismo. Já teve bastante adaptações e melhoramento”, contou o Aloísio Westrup, presidente do Sicredi Sul.

O programa, que já tem mais com 20 anos de história, é bastante consolidado no sistema Sicredi em mais de 200 municípios brasileiros. Atende crianças e adolescentes trabalhando a metodologia de projetos.

“Essa metodologia torna o educando mais ativo. Ele é mais participativo e constrói a aprendizagem de maneira mais efetiva. É isso que estamos buscando nesse investimento que tem a Unesc como assessora pedagógica e o Bairro como parceiro. E a gente busca inovar a educação de maneira simples e mais prática”, explicou Daniela Soares, assessora de programas sociais da Sicredi.

O Sicredi trabalha há um ano no aprimoramento do projeto. Serão três turmas piloto no Bairro da Juventude e as professoras que atuam nelas foram formadas na metodologia pela Unesc que acompanha a assessoria pedagógica do Sicredi. A cada 15 dias haverá monitoramento para acompanhar e ver se o que foi proposto está sendo colocado em prática e a evolução do projeto.

“Não vai ser uma ação única, mas sim continua para os próximos anos. Até que isso se internalize como uma prática educativa da instituição. Que se torne cotidiano ser mais prático e ter alunos mais participativos. Fugir do tradicional quadro e caderno”, esclareceu Daniela.