Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Projeto da ciclovia deverá ser concluído em dezembro

Expectativa é de que a Unesc, que está trabalhando no projeto, entregue-o a prefeitura ainda neste ano
Paulo Monteiro
Por Paulo Monteiro Criciúma - SC, 29/10/2020 - 08:24Atualizado em 29/10/2020 - 08:53
Ciclistas protestaram na noite desta quarta, depois de mais uma morte / Foto: Eduardo Schaucoski / Especial / 4oito
Ciclistas protestaram na noite desta quarta, depois de mais uma morte / Foto: Eduardo Schaucoski / Especial / 4oito

Já faz alguns meses que a Universidade do Extremo Sul Catarinense (Unesc) está trabalhando na atualização do projeto de uma ciclovia para Criciúma. Elaborado inicialmente em 2012 pela Prefeitura Municipal, o novo projeto deverá ser entregue pela universidade ainda em dezembro para o governo municipal para que, então, seja possível a inicialização das obras.

O assunto voltou a ser uma das principais pautas da cidade nesta quarta-feira, quando uma ciclista faleceu após ter sido atropelada por um ônibus na Santa Luzia.

Confira também - Mais uma pedalada para protestar em Criciúma

De acordo com a professora e arquiteta Suelen Stecanella, foi necessário realizar uma série de redesenhos em cima do projeto inicial da prefeitura, já que houveram mudanças de trechos e trajetos. “Será uma ciclovia que vai da Unesc até o Shopping Nações, usando o canteiro central da Avenida Centenário. Poucos trechos precisarão de alguns desvios, ficará praticamente em toda a Centenário”, pontuou a arquiteta.

A ideia é de que no centro do canteiro da Avenida fique a passagem de pedestres e, nos dois lados, se concentrem as pistas de ida e volta da ciclovia. Muitas das árvores que se encontram hoje no canteiro da Centenário deverão ser mantidas, mas com mudanças consideráveis.

“Conseguimos manter através de um desenho mais orgânico, modificando a parte do pedestre para que não precise ser exatamente em uma linha reta. Há um desenho orgânico para que preservemos algumas árvores, mas claro que é inevitável que não consigamos respeitar toda a vegetação do canteiro”, disse Suelen.

Além disso, deverá haver uma separação da faixa da ciclovia para a pista do ônibus através de um bloco de concreto, para que haja mais seguranças para os ciclistas. “Temos estudado muitos outros projetos de ciclovias em outras cidades que trabalharam dessa forma, e tem sido bem funcional nesse sentido”, afirmou.