Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Procon contesta manifesto da Renner

Empresa é acusada de ter promovido propaganda enganosa
Paulo Monteiro
Por Paulo Monteiro Criciúma, SC, 28/11/2019 - 15:17Atualizado em 28/11/2019 - 15:30
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Acusada pelo Procon por ter realizado o ato de propaganda enganosa, após colocar etiquetas de desconto que não alteram o valor das peças, a Lojas Renner realizou um manifesto para esclarecimento do caso. No pronunciamento, a Renner afirma que a etiqueta amarela sinaliza os produtos participantes da Black Friday, e que dão desconto somente no momento do pagamento - argumento contestado pelo Procon.
 
Segundo o coordenador do Procon de Criciúma, Gustavo Colle, durante a abordagem foi descoberto que haviam outras mercadorias com a etiquetagem correta e, mesmo assim, a gerente da loja afirmou que a etiqueta em questão, mostrada no vídeo, era promocional e que os descontos já estavam fixados abaixos do valor real. 
 
“Descobrimos também outras mercadorias que estavam corretas. Vimos uma mercadoria que o valor era R$ 139,00 na etiqueta branca e, estava colado em cima, uma etiqueta amarela por R$ 99,00. Tem alguma coisa que não está fechando ali, na contestação dos advogados da renner com o que constatamos naquele momento”, afirmou Gustavo.
 
O coordenador afirma que a precificação dos produtos em promoção precisam estar corretas, para que o consumidor possa saber o valor de sua economia. “É direito do consumidor saber a precificação correta, o direito da informação precisa. Quando se trata de desconto, tem que estar na mercadoria o valor que era, R$ 90,00 por exemplo, o valor que foi, por exemplo R$ 60,00, e o valor da porcentagem de desconto. É direito do consumidor saber o quanto ele está economizando”, concluiu Colle

Tags: black friday