Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Priorizar a defesa e a forte marcação

Nos últimos dois jogos, Criciúma tomou cinco gols; foco é corrigir as fragilidades defensivas contra para garantir os 45 pontos diante do Londrina
Por Lucas Renan Domingos Criciúma, SC, 06/11/2018 - 09:56
Treinador fechou o último treino e não confirmou qual será a escalação/Foto:Guilherme Hahn/Especial
Treinador fechou o último treino e não confirmou qual será a escalação/Foto:Guilherme Hahn/Especial

Os problemas com desfalques estão sendo tão constantes no Criciúma, que Mazola Júnior já se conformou com a situação. “Nada que a gente já não esteja habituado neste ano”, falou o treinador ao comentar as baixas para o jogo contra o Londrina. A preocupação tem sido outra nesta reta final da Série B: o número de gols sofridos.

Na última boa sequência do Tigre na competição, aquela que o time ficou sete rodadas sem perder, os adversários conseguiram balançar as redes tricolores apenas quatro vezes. Agora, o momento é diferente. O Criciúma está a cinco jogos sem vencer e já foram seis gols tomados. “Só nos últimos dois jogos foram cinco”, alertou Mazola Júnior. A preocupação aumenta, pois a partida pode ser decisiva para ambas as equipes.

Em caso de derrota para o Tigre, o acesso para os paranaenses fica muito difícil. Por outro lado, uma vitória do Criciúma faz o time, finalmente, chegar aos 45 pontos e encerrar o papo de fugir do rebaixamento. “Eles estão em um momento na tabela onde a gente gostaria de estar, disputando na parte de cima. Precisamos somar, no mínimo, os três pontos para afastar de vez nosso pesadelo e cumprir o nosso objetivo”, previu. “Vamos ser uma equipe humilde, marcar forte e procurar explorar os contra-ataques”, afirmou.

Mas conseguir montar uma forte marcação vai ser uma tarefa nada simples para Mazola, principalmente por conta dos desfalques nas laterais. Pelo lado esquerdo, Marlon tomou o terceiro amarelo contra o Goiás e não joga. Iago, o reserva, teve um problema dentário e é outro que está fora. Pela lateral direta, Suéliton continua no departamento médico. O natural é que Carlos Eduardo assumisse a vaga, mas o jogador nem foi relacionado para a partida por opção do treinador.

Do lado direito, Eduardo, que jogou naquela função contra o Goiás, deve ser mantido como lateral. Do lado esquerdo, Jean Mangabeira, Luiz Fernando e até mesmo Andrew, são opções.

Treino fechado

Quais serão as escolhas feitas por Mazola, só será possível saber antes da partida contra o Londrina, quando a escalação for divulgada. É que o último treino realizado pelo grupo, na manhã de ontem, no Centro de Treinamentos de Antenor Angeloni, antes da viagem para o Paraná, foi com os portões fechados.

“Lógico que temos uma ideia (de time). Por conta das características de jogo pelo lado do Londrina, vamos ter que priorizar a nossa parte defensiva com jogadores de defesa. Não podemos dar para eles o espaço que demos para o Goiás. Isso vai ser fatal para nós”, avaliou o técnico do Tigre.