Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Polícia Civil investiga morte de jovem no Cristo Redentor

Suspeita é de que ele tenha sido vítima de represália por ser suspeito de praticar estupro
Por Vanessa Amando Criciúma, SC, 13/02/2019 - 06:27
Daniel Búrigo/Arquivo A Tribuna
Daniel Búrigo/Arquivo A Tribuna

A Polícia Civil de Criciúma, através da Divisão de Investigação Criminal (DIC), apura os fatos em torno da morte de um jovem no bairro Cristo Redentor. O homicídio aconteceu na noite dessa segunda-feira, dia 11, quando João Victor Domingos, de 18 anos, foi morto por disparos de arma de fogo nas proximidades de sua residência. A principal suspeita é de que ele tenha sido vítima de uma represália por ser suspeito de ter praticado um estupro no fim do ano passado.

De acordo com o delegado André Milanese, da Divisão de Repressão a Homicídios da DIC Criciúma, o crime de estupro ocorreu também no Cristo Redentor e a vítima é uma mulher de 29 anos. A cerca do fato, ela relatou que não conseguiu ver o rosto do agressor, no entanto, segundo Milanese, as características dele batem com as de João Victor, por isto, a morte do rapaz seria uma vingança por parte de traficantes de drogas do mesmo bairro.

“Essas informações chegaram para a gente depois da morte do João Victor, por isso, a princípio, estamos trabalhando em torno dessa linha de investigação”, esclarece o delegado. A polícia já ouviu depoimentos, mas não divulga informações sobre possíveis suspeitos para não atrapalhar as investigações.

O que foi relatado por testemunhas é que um homem de motocicleta teria efetuado os disparos. João Victor foi atingido na região do tórax. Ele ainda teria conseguido fugir, pois o corpo foi encontrado em uma rua próxima do local dos fatos. O jovem já possuía passagens criminais por tráfico de entorpecentes, roubo e participação em homicídio.

A Polícia Militar, com as guarnições do Pelotão de Patrulhamento Tático (PPT) e do Canil, assim como profissionais do Instituto Geral de Perícias (IGP) e Instituto Médico Legal (IML) também prestaram atendimento no caso. Este foi o sétimo homicídio registrado na cidade de Criciúma somente neste início de ano.