Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Plano de Desenvolvimento da Amrec é apresentado para gestores municipais

Terceira fase do projeto ocorreu na manhã desta sexta-feira
Redação
Por Redação Criciúma, SC, 25/09/2020 - 20:35Atualizado em 25/09/2020 - 20:56
Divulgação
Divulgação

O projeto de elaboração do Plano de Desenvolvimento Socioeconômico da Amrec concluiu mais uma etapa importante. Na manhã desta sexta-feira, 25, a Unesc e o Unibave reuniram prefeitos e secretários municipais para apresentar e validar a visão de futuro, eixos e objetivos estratégicos, elencados após a análise dos dados e contribuições coletadas ao longo de 12 encontros virtuais com lideranças e a comunidade de cada município. Os resultados da reunião desta sexta-feira serão compartilhados com toda a comunidade, em um evento no dia 6 de outubro, às 19h, quando a comunidade poderá contribuir novamente com a construção do Plano de Desenvolvimento.   

Este momento será transmitido pela Unesc TV, em seu canal no Youtube (www.youtube.com/unesctv) e os participantes poderão ainda se inscrever para comporem grupos de trabalho (GTs) posteriormente.

Para a reitora da Unesc, Luciane Bisognin Ceretta, a elaboração do Plano de Desenvolvimento é um importante passo para a região, e o trabalho, feito com abrangência, responsabilidade e com a participação da comunidade, o que ela julga ser essencial para o bom resultado do projeto. "Um trabalho com esta profundidade não se faz sem dedicação e a participação efetiva de todos. A metodologia empregada envolve a construção dos projetos estratégicos estruturantes, dos setores portadores de futuro, que são identificados a partir dos dados que trouxemos e a partir das macrotendências. Esses setores têm que balizar o nosso desenvolvimento. Eles são essenciais a nossa análise e construção dos projetos estratégicos".

Para o reitor do Unibave, Elcio Willemann, o projeto é de extrema relevância para o crescimento e desenvolvimento dos municípios do Sul catarinense. "As informações coletadas ao longo destas etapas são imprescindíveis para a elaboração de estratégias para o desenvolvimento da região. E ele só vai ocorrer a partir do engajamento de todos e de ações em conjunto. Este projeto foi uma brilhante ideia da Unesc e agradecemos à Universidade por ter aberto a possibilidade de parceria com o Unibave".

A pró-reitora de Planejamento e Desenvolvimento Institucional da Unesc, Gisele Coelho Lopes, pondera que a equipe realizou um trabalho intenso em laboratório para análise dos dados apresentados nesta sexta-feira e está engajada em entregar um projeto exequível e que tenha a digital de todos que estejam interessados em colaborar com o plano. "Estamos preocupados a fazer um trabalho de excelência para a região. Não é um movimento da Unesc e do Unibave, mas de todos. As Instituições são apenas as mediadoras de um movimento que pode mudar a região. Um time de ponta que com a colaboração da comunidade está empenhado em fazer acontecer um projeto que vai ficar na memória da região".   

O presidente da Amrec, Ademir Magagnim, parabenizou a Unesc e o Unibave pela condução do projeto e salientou que o Plano de Desenvolvimento irá contribuir para despertar e consolidar o potencial do Sul do Estado que está adormecido. Segundo ele, a partir desta etapa, fica cada vez mais clara a construção do plano. "Estamos saindo da fase de imaginação para uma fase mais real. Tenho certeza que as reuniõest êm sido muito produtivas e percebi muito a fala da tecnologia. Tenho certeza que podemos trazer de volta a nossa região ao destaque em Santa Catarina. Queremos que tenha emprego e renda e desenvolvimento com qualidade de vida. Este plano será o maior projeto que os prefeitos estão entregando para os novos gestores que vão assumir em 2021".

A professora da Unesc, Camila Bardini, comandou as atividades da manhã desta sexta-feira e ressaltou a importância delas para dar voz e fazer um trabalho colaborativo. O encontro virtual reuniu 117 pessoas, entre prefeitos, secretários e demais gestores públicos, além de professores e gestores da Unesc e do Unibave.    

Resultados

Uma das coordenadoras do Observatório de Desenvolvimento Socioeconômico e de Inovação da Unesc, Melissa Watanabe, apresentou o diagnóstico feito após a fase inicial de coleta de informações e debates com a comunidade de cada município que compõe a Amrec. "Trabalhamos em uma equipe de aproximadamente 100 pessoas para validação das informações das 12 reuniões. Foram 800 participações públicas e 1.612 documentos surgiram disso, sendo que todos foram avaliados", conta.

Desafios
Diversificação econômica: empreendedorismo, emprego/renda agricultura/agronegócio, indústria e serviço.   
Educação: qualificação, curso profissionalizante e estrutura voltados para as demandas da região.
Infraestrutura: urbanização, saneamento, segurança e mobilidade/logística como condição para o desenvolvimento da região. 
Planos de Desenvolvimento: planejamento com planos diretores e de desenvolvimento exequíveis.
Turismo: integração e vários tipos de turismo: rural, aventura, ecológico e negócios; hospitalidade – restaurantes, hotéis e lazer.
Recursos naturais: resíduos, água e energia – busca pelo menor uso e devolução. 

Potencialidades
Infraestrutura: mobilidade/logística/energia renovável e não renovável.
Agricultura: agronegócio e agricultura familiar.
Turismo integrado: lazer (férias/contemplativos), esporte (aventura/radicais) e negócios (feiras/congressos/tecnologia).
Cultura: atrativo e patrimônio (forma de atração de turistas)
Diversificação econômica: empreendedorismo, emprego/renda, economia criativa, serviço/varejo.
 

Sonhos
Novas empresas: emprego, desenvolvimento industrial/serviços/varejo. 
Ser referência: em educação, saúde, mobilidade e turismo.
Parcerias: integração com outros municípios quanto à mobilidade e ao turismo.
Turismo: rota regional e valorização da cultura.
Infraestrutura: para o turismo e a qualidade de vida.
Cidades sustentáveis: cidades integradas, mobilidade, conservação e energia renovável.

Visão de futuro – Elementos

Elevada qualidade de vida para todos: excelente educação, saúde, segurança, mobilidade, moradia e saneamento; empregos dignos, bem remunerados e motivadores; inclusivo e com oportunidades iguais; competitivo na economia globalizadae população culta e com autoestima.
Valorização dos potenciais existentes: turismo, utilização sustentável do carvão, substrato produtivo existente.
Novas vertentes econômicas (setores portadores de existentes): tecnologia da informação e indústrias criativas.
Reconhecimento e competitividade mundial.
Sugestão de frase para síntese da Visão de Futuro: "Região reconhecida pela sua elevada qualidade de vida, sustentável em todos os domínios, fundamentada na cooperação entre os seus integrantes e capaz de reinventar-se continuamente rumo ao futuro".

Apresentação de dados

O também coordenador do Observatório de Desenvolvimento Socioeconômico da Unesc, Thiago Fabris, apresentou dados econômicos e sociais da região Sul catarinense. Segundo ele, as principais variáveis se relacionam à geração de emprego e renda, sendo que a geração de empregos formais impacta fortemente no crescimento econômico. Para cada emprego formal gerado, temos valor adicionado R$ 100 mil à economia da região. A educação (avaliação em termos de Ensino Médio) está em um patamar ainda acima: cada matrícula gerada contribui para a economia da Amrec algo em torno de R$ 7 mil.

Fabris apresentou dados sobre o número de empresas por habitantes na Amrec – em média 1 para cada 29 pessoas – informações sobre educação e os setores portadores de futuro. Ele apresentou ainda a análise dos 20 principais setores da economia da Amrec, e os setores-chave e seus efeitos multiplicadores.

Segundo o diagnóstico, os eixos estratégicos regionais são: turismo integrado; inovação e sociedade do conhecimento; sustentabilidade ambiental e uso consciente dos recursos; desenvolvimento econômico; desenvolvimento educacional e social e mobilidade regional integrada. 

Para saber em mais detalhes os dados apresentados, você pode acessar um caderno no site o Observatório de Desenvolvimento Socioeconômico da Unesc clicando aqui.

Sugestões aos gestores
Um dos consultores do projeto, Roberto Spolidoro, apresentou algumas sugestões para a região:
Sistema regional de ciclovias – buscar modelos em outros países.
Ecossistema regional de inovação – com parques tecnológicos (apresentou exemplos em universidades e na iniciativa privada e falou sobre como o governo pode estimular essas iniciativas.)
Sistema regional integrado de turismo – valorizar e potencializar o turismo, que colabora na geração de emprego e renda; estradas com paisagismo e investimento na paisagem urbana.

Equipe

Do Unibave, participam do projeto o reitor, Elcio Willeman; o pró-reitor de pós-graduação pesquisa e extensão, Dimas Ailton Rocha; a coordenadora do curso de agronomia, Janaína Veronezi Alberton; o coordenador do curso de Sistemas de Informação, Nacim Miguel Francisco Júnior e os professores Guilherme Doneda e Ana Paula Bazo.

A equipe da Unesc envolvida no evento é formada: pela reitora, Luciane Bisognin Ceretta; pela pró-reitora de Planejamento e Desenvolvimento Institucional, Gisele Coelho Lopes; pelos coordenadores do Observatório de Desenvolvimento Socioeconômico e de Inovação, Thiago Fabris e Melissa Watanabe; pela coordenadora do Setor de Planejamento Institucional, Almerinda Bianca Bez Batti Dias; pelo coordenador da Sala dos Municípios, Dorvanil Vieira; pelos professores da Unesc Igor Drudi e Camila Bardini e pelos consultores Sebastião Freitas e Roberto Spolidoro, além de monitores.