Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Piloto de Siderópolis estará no Rally dos Sertões pela segunda vez

Fellipe Scaini foi bem em 2017 e em agosto tentará mais uma boa performance
Erik Behenck
Por Erik Behenck Siderópolis - SC, 14/01/2020 - 15:05
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Pela segunda vez Fellipe Scaini, de Siderópolis, participará do Rally dos Sertões, o segundo maior do mundo. A competição está marcada para agosto e o piloto amador decidiu que em novembro que estará na disputa. Serão entre 4 e 6 mil quilômetros, com saída em São Paulo, no dia 14 e chegada no Ceará, dentro de oito dias.

“Em 2017 eu me preparei por dois anos, agora eu comecei em novembro, eu pedalo 50 quilômetros por dia, tem 1h30 de academia e corro 12 quilômetros. São 800 quilômetros por dia, em um percurso desgastante, sem parar e sem comer, só com o abastecimento”, destacou. “400 pilotos largam e menos da metade chegam”, lembrou o piloto.

Ele ainda não definiu qual será a categoria em que competirá, em 2017 foi na Marathon, terminando com a 3º colocação, sendo o 12º no geral. “Mudaria a moto, a qualificação e tem outros itens, com a troca de peças”, comentou. Um dos apoiadores da participação do sideropolitano será uma empresa ligada com motocicletas, o que vai ajudar no orçamento.

Para participar do Rally dos Sertões não é precioso passar por nenhuma prova classificatória, basta se inscrever. Scaini é piloto amador, ele tem outra profissão, mas está se preparando para a competição, que neste ano contará com pilotos do mundo inteiro. A expectativa é por uma boa prova.
 
“É difícil dizer, é o segundo maior rally do mundo e este ano vai ser uma etapa mundial, com os pilotos do Dakar, só de chegar na final. Vai ser bem difícil, mas dificultoso do que foi em 2017. A expectativa é chegar na linha de chegada, eu não sou piloto profissional, chegar entre os 20 vai ser legal”, analisou.

A busca por patrocínios

Participar de um rally não é algo barato, por isso é importante buscar patrocínios. A empresa de sua família vai auxiliar e a campanha de publicidade ainda não foi fechada. Uma marca de motocicletas deverá ser parceira, assim como a Prefeitura de Siderópolis, que já garantiu patrocínio.

“A gente sabe que a questão de patrocínio é complicado, é um rally muito caro, as vezes não é qualquer valor que ajuda. Não é porque vamos negar, é porque é muito acima e as vezes polui a moto por 10% do que gastaria no evento, então damos prioridades para empresas maiores”, explicou.

Rally dos Sertões quer ser o maior do mundo

Se hoje o Rally dos Sertões é considerado o segundo maior do mundo em extensão, os planos para os próximos anos são audaciosos. A ideia é que a marca ultrapasse o Dakar, que está acontecendo agora no verão, até lá, Fellipe não sabe ainda se estará competindo.

“O Rally dos Sertões é uma empresa e 50% das ações foram compradas pelo dono do Rock In Rio, então em 2022 ele quer fazer o rally ser o maior do mundo, com 12 mil quilômetros, o Dakar tem de 8 até 10 mil. Em 2022 vai ser o evento de comemoração dos 30 anos do Rally dos Sertões”, disse o competidor.