Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
4

Pais fazem abaixo assinado contra saída do técnico de xadrez da FME

Evandro Bitencourt não vê justificativas pela não-renovação do contrato em dezembro
Heitor Araujo
Por Heitor Araujo Criciúma, SC, 24/01/2021 - 12:06
Evandro Bitencourt (direita) segurando troféu conquistado no Rio Grande do Sul (Foto: Divulgação)
Evandro Bitencourt (direita) segurando troféu conquistado no Rio Grande do Sul (Foto: Divulgação)

Pais de alunos do time de  xadrez da Fundação Municipal de Esportes (FME) fizeram um abaixo assinado para impedir a saída do técnico Evandro Bitencourt e de seu auxiliar, cujos contratos não foram renovados.

A iniciativa partiu da mãe Vanessa Della Giustina, após Bitencourt anunciar que não mais permaneceria no time por conta de decisão da FME.

Segundo Evandro Bitencourt, a decisão de sua saída partiu da gestão anterior da Fundação, que foi trocada na renovação de mandato da atual prefeitura.

O técnico afirma não ter justificativas, sejam técnicas ou financeiras, para a não-renovação do contrato, que expirou em dezembro. 

"Acho um desrespeito total com a modalidade que se tornou uma das melhores do Estado. Com esta atitude não estão me atingindo e sim os pais e atletas já que foram anos de confiança e credibilidade com os pais", disparou Evandro.

Ele frequenta o xadrez municipal desde 2006, quando começou a disputar os jogos abertos. Há sete anos ele é o responsável pelo esporte na FME. "É lamentável esta situação, pessoas não conhecem o projeto e nem o perfil da modalidade tomam este tipo de decisão sem pensar nos outros", lamentou.

A FME justifica que a decisão pela saída de Evandro foi técnica e que se pensa no desenvolvimento da modalidade. 

"Existem fatores internos, foi feita a avaliação global dentre o que houve e situações ocorridas nos últimos anos e teve-se a possibilidade de pensar em projeto maior, uma mudança para mudar e valorizar mais a modalidade dentro do município", alegou o diretor técnico da FME, Gustavo de Oliveira.

Evandro não concorda que tenha sido uma decisão técnica. Para defender o que foi feito ao longo dos sete anos, ele cita os títulos conquistados pelos alunos em competições estaduais, nacionais e até sul-americanos. 

Ele relembra que houve dois títulos sul-americanos de atletas de Criciúma treinados por ele, além de sete títulos brasileiros e 12 estaduais, entre 2014 e 2020. 

A insatisfação de Evandro estendeu-se aos atletas e aos pais. "Não aceitamos as demissões dos técnicostemos total confiança no trabalho deles, assim como na responsabilidade com nossos filhos", disse Vanessa, organizadora do abaixo assinado que pede a permanência da atual comissão técnica.

Além dos títulois e classificações, Vanessa cita a "responsabilidade que o Evandro e o Karlus tem com a nossos pequenos, nossa equipe de base em torneios e viagens q vão sob a responsabilidade deles".

O abaixo assinado, publicado no dia 21 de janeiro, pretendia coletar 200 assinaturas e ultrapassou a meta. Até o momento de fechamento da matéria, tinham sido 321. 

Na segunda-feira, a FME fará uma reunião para explicar aos pais os motivos para a saída da dupla do time de xadrez, para "deixá-los cientes do novo projeto", segundo Gustavo de Oliveira. 

"É uma mudança difícil, recebi muitas mensagens de pais que cobraram e outros que elogiaram pela mudança, faz parte. Vamos realizar a mudança e cobrar para que seja efetiva e valorizado o que foi alterado. Sempre pensando o melhor para os atletas", concluiu o diretor técnico da Fundação.