Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

“O Pelé era uma coisa extraordinária, não só como jogador, mas como amigo”

Ex-zagueiro Oberdan Vilain atuou por anos ao lado do rei e fala sobre a amizade com ele
Por Erik Behenck Criciúma - SC, 12/11/2017 - 11:23
(foto: divulgação)
(foto: divulgação)

O catarinense Oberdan Vilain jogou por 10 anos no Santos, dividindo o campo com Pelé e Carlos Alberto Torres. Na época, o time costumava fazer viagens pelo mundo, realizando uma série de amistosos, onde os jogadores recebiam em dólar. Para ele o eterno camisa 10 ainda está muito acima de qualquer outro jogador.

“Meu Deus do céu! Isso é um absurdo que fazem, realmente não temos vídeo tape do Pelé. O Pelé é uma coisa que Deus fez e não tem cópia. Pelé está lá em cima, depois o Eusébio, o Torres, o Messi, o Maradona, mas estão bem abaixo”, analisou.

Em 1975 Pelé deixou o Santos para jogar no New York Cosmos, dos Estados Unidos. Com a saída do craque, a equipe parou de realizar jogos fora do Brasil, dessa forma Carlos Alberto também deixou o clube. De acordo com Oberdan, o rei do futebol não era bom apenas nas quatro linhas.

“O Pelé era uma coisa extraordinária, não só como jogador, mas como amigo, como pessoa, era integro e correto. Nós íamos jogar na África e amavam ele, o mundo inteiro amava. Depois que ele foi para o Cosmos o Santos acabou para estes amistosos internacionais”, afirmou.