Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

O caso do viaduto sem dono em Criciúma

Vereadores foram sugerir um nome para passagem sobre o Anel Viário, e foram surpreendidos com a informação
Denis Luciano
Por Denis Luciano Criciúma, SC, 29/11/2019 - 17:24Atualizado em 29/11/2019 - 17:25
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

A terceira etapa do Anel de Contorno Viário de Criciúma, que faz a ligação entre os bairros São Simão e Vila Zuleima, foi comemorada com pompa e circunstância quando da inauguração, em janeiro de 2017. Foram investidos R$ 43 milhões em 6,8 quilômetros de rodovia.

No caminho, há um viaduto que passa sobre a Rodovia Archimedes Naspolini, principal ligação entre a área central de Criciúma e os bairros Mina do Mato e Mina do Toco. Pouco adiante desse viaduto, no sentido Centro-bairro, há uma curva onde, em abril de 2017, ocorreu um acidente entre um ônibus e um automóvel, que resultou em duas mortes. Perderam a vida no local Cinara Pavan, 37 anos, e seu filho Nicolas Ferro Pavan, 11.

Agora, dois anos e meio depois do grave acidente, a intenção de realizar uma homenagem trouxe à tona uma situação, no mínimo, curiosa. "A gente fez uma reunião para propor que coloquem o nome da Cinara Pavan naquele viaduto. Fizemos o projeto e fomos identificar se o viaduto era do Estado ou do Município. E, para nossa surpresa, descobrimos que não é de um, nem de outro", revelou o vereador Edson Paiol do Nascimento (PP). Ele tratou do tema nesta sexta-feira, 29, em reunião com o colega Salésio Lima (PSD) e com o coordenador regional de Infraestrutura, Gustavo Taufembach.

"Ele (Gustavo) até disse que tem que ser passado para o Estado, mas que não está com o Município, então ele deve ir segunda-feira até a Secretaria de Infraestrutura para formalizar isso", explicou Paiol. Cinara, a vítima do acidente e que deve ter seu nome colocado no viaduto, era diretora da União das Associações de Bairros de Criciúma (UABC), da qual o vereador Paiol é o presidente. "Ela trabalhava na Caixa Federal também, uma cidadã muito atuante na comunidade e muito querida por todos", emendou. 

Vila Macarini

Outro ponto de Criciúma também pautou a conversa desta sexta entre os vereadores e o coordenador de Infraestrutura. Foi levada a reclamação da comunidade da Vila Macarini, que pleiteia melhorias em um dos acessos do bairro à SC-446, rodovia que liga Criciúma a Nova Veneza via distritos do Rio Maina e Caravaggio. "É ali no cruzamento perto da Anjo Tintas, teve vários acidentes, até com vítimas. Os moradores pediram que naquele cruzamento se coloquem lombadas e placas. O coordenador foi sensível e prometeu providenciar umas lombadas ali", revelou o vereador Paiol.