Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui

Novos respiradores aprovados e à disposição no São José

Hospital recebeu 10 aparelhos do governo do Estado e amplia para 28 o número de leitos para tratamento de Covid-19
Heitor Araujo
Por Heitor Araujo Criciúma - SC, 01/06/2020 - 10:24Atualizado em 01/06/2020 - 10:25
Foto: Arquivo / 4oito
Foto: Arquivo / 4oito

Em meio à pandemia e denúncias de compras irregulares de aparelhos que auxiliam no tratamento à Covid-19, o governo do Estado liberou mais 10 respiradores mecânicos para o Hospital São José (HSJ), fabricados em Santa Catarina por uma empresa de Jaraguá do Sul. Dos 100 aparelhos entregues, 10% foram destinados à UTI do hospital de Criciúma. O Estado segue aguardando mais 400 respiradores.

Na última sexta-feira, o corpo técnico do HSJ testou a qualidade dos aparelhos. De acordo com o diretor Raphael Elias Farias, os respiradores foram aprovados no tratamento à Covid-19. "O que a gente fez na sexta-feira foi testar os que chegaram e a partir daí a  gente pegou um dos ventiladores para colocar em uso, para conhecê-lo, tirar as dúvidas em relação ao funcionamento e avaliá-lo. A gente tem o uso garantido, é um ventilador que foi aprovado pela equipe, tanto para pacientes com coronavírus quanto para pacientes de terapia intensiva", frisou Raphael.

Em Criciúma, permanecem internados seis pessoas com Covid-19. O número caiu nos últimos dias, mas o sinal continua de alerta. Entre rede privada e pública de saúde, chegou a ter 14 pacientes em UTI no dia 25 de maio. O São José teve mais de 60% dos leitos destinados à Covid-19 ocupados.

No momento, com a ampliação de mais 10 leitos para o coronavírus, totalizando 28, a avaliação é de relativa tranquilidade. No entanto, com a iminência da flexibilização do decreto estadual que permitirá aos municípios avaliarem o que pode e o que não pode funcionar, a prefeitura de Criciúma criou um comitê de avaliação do cenário de coronavírus no município. O HSJ indicou um integrante para esta equipe.

"Na minha análise, todos (população em geral) têm que continuar com as precauções e cuidados, evitar as exposições e o fluxo. Claro que não pode ficar tudo parado, porque a gente vê ainda o número de casos pequenos na região e o sistema (de saúde) dando conta. Acreditamos que os próximos encaminhamentos será de talvez flexibilizar com análise de casos e leitos existentes", ponderou Raphael.

Médico com especialização em infectologia, Raphael demonstra cautela sobre a possibilidade do retorno do transporte coletivo para o dia 8 de junho, quando Moisés deve permitir aos municípios deliberarem sobre o tema. Clésio Salvaro deu incontáveis amostras de que assim que for permitido, liberará o retorno dos ônibus às ruas de Criciúma. 

"Transporte e escola são fatores de risco. Mesmo que tenha regras para o transporte público, a gente sabe que o cumprimento delas é difícil. A gente vê isso em outras áreas. Pode ser avaliada a situação, junto a todos os fatores e as novas regras. Há preocupação porque o transporte pode ser uma fonte de disseminação. Os casos circulam, o que a gente não vê é um aumento progressivo", afirma Raphael.

O médico aponta, ainda, que os cuidados devem ser no sentido de não deixar os números de Covid-19 no município saírem de controle. "Há risco em relação a transporte público e escolas e isso tem que ser ponderado e bem pensado, para que a gente possa manter a situação sob controle. Não queremos que os casos comecem a crescer e a gente perca o controle. Cada situação tem que ser pensada", conclui.

O último dado divulgado pela prefeitura de Criciúma sobre a Covid-19 apontam para 415 casos confirmados do vírus no município, sendo 267 já curados. O número de internações em UTI, que aumentou consideravelmente no fim de maio, chegando a 14 no dia 25 de maio, agora apresenta queda, resultando em seis pacientes internados. Até o momento aconteceram nove óbitos decorrentes do coronavírus no município.

Tags: coronavírus