Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui

Nova ferramenta para denúncias em Criciúma está em funcionamento

Contato auxiliará órgãos na fiscalização de medidas restritivas estabelecidas em decretos municipais e estaduais no combate à Covid-19
Redação
Por Redação Criciúma, SC, 10/07/2020 - 16:22
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

A nova ferramenta disponibilizada pela Prefeitura de Criciúma para denúncias contra descumprimento das medidas restritivas no combate à Covid-19 está em funcionamento. O contato via aplicativo WhatsApp auxiliará órgãos destinados a fiscalização das normas sanitárias estabelecidas em decretos municipais e estaduais.

De acordo com o coordenador da Vigilância Sanitária de Criciúma, Samuel Bucco, as denúncias deverão ser feitas pelo contato (48) 99193-6259, que será disponibilizado 24h por dia. “Teremos pessoas capacitadas para esse atendimento e entidades que fiscalizarão de forma intensa as informações repassadas. Contamos com o apoio da população para nos informar quando verificar alguma irregularidade nesse sentido”, destaca.

Bucco reforça ainda que é necessária a identificação do denunciante, porém, os dados são sigilosos. “A pessoa que efetuar a denúncia pode ficar tranquila pois não terá sua identidade divulgada. Em contrapartida precisamos ter uma garantia da veracidade das informações e essa ferramenta nos auxiliará de diversas formas”.

Até a disponibilização do contato via aplicativo, as denúncias estavam sendo realizadas para a Defesa Civil, no 199, e à Polícia Militar, no 190.

Ações de fiscalização seguem em Criciúma

A Vigilância Sanitária de Criciúma, com os demais órgãos fiscalizatórios, segue realizando ações no município, verificando o cumprimento de normas sanitárias estabelecidas em decretos. Nesta semana, a fiscalização foi realizada em academias, igrejas, bancos e transporte coletivo intermunicipal. “O resultado tem sido satisfatório, pois a maioria dos estabelecimentos estão cumprindo o que foi estabelecido”, finaliza Bucco.

Tags: coronavírus