Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Nem aqui, nem na China

Do Avesso recebeu o chinês Nelson e a professora de japonês Selmara Baptista
Erik Behenck
Por Erik Behenck Criciúma - SC, 27/08/2018 - 14:30Atualizado em 27/08/2018 - 14:43

A vida no oriente é completamente diferente da nossa, o que não impede o intercâmbio das culturas. Mano Dal Ponte e Pity Búrigo receberam, no Programa do Avesso, da Rádio Som Maior, o chinês Zhou Guanhua, o Nelson, e a professora de japonês Selmara Baptista. Ele é proprietário do Restaurante MR. Zhou, enquanto ela não é descendente, mas morou por cinco anos no Japão.

“Os japoneses adoram os brasileiros, eles sabem que adoramos futebol e samba, então acabam respeitando. Quando eles veem que você é uma pessoa boa, então começam uma amizade com você e isso é para a vida toda, eles sentem bastante quando você faz algo de errado com eles”, contou Selmara.

Nelson está no Brasil desde 2000, chegando no país dois anos após o seu pai. Ele é natural da cidade de Guangzhou, um local com população maior do que São Paulo e especializada em gastronomia. Na China é normal comerem carne de cachorro, mas apenas vira-lata, já grilos, aranhas e outros animais não são comuns. “Tem sabor parecido com carne de cordeiro, mas é um pouco melhor”, comentou. 

Na China o Facebook e o Google são bloqueados, já que não são empresas do país. Com tantos usuários na internet, eles utilizam suas próprias redes sociais. Segundo Nelson, os produtos são de boa qualidade. “Um celular chega aqui, já aumenta 60%, por causa do imposto. Tem alguns produtos com qualidade inferior, mas é para uso em tempo não tão longo, assim o preço é bem menor, mas a maioria a qualidade é conforme o preço”.

No Japão é comum que a preparação para eventos comece com longa antecedência, dando tempo para que todo o planejamento seja feito, evitando erros. Os japoneses também procuram terminar seus trabalhos, mesmo que passe do horário. “Eles gostam muito de escritório, vivem a frente do computador. Alguns são tão comprometidos com o trabalho, que não vão embora enquanto não terminam”, completou Selmara.

Confira o Programa do Avesso na íntegra: