Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Mulheres defendem e explicam as vantagens do conservadorismo

No Dia Internacional da Mulher, o Do Avesso abriu espaço para quem pensa diferente do popular feminismo
Erik Behenck
Por Erik Behenck Criciúma - SC, 08/03/2018 - 14:53Atualizado em 08/03/2018 - 14:56
Pity Búrigo recebe Vanessa Antunes e Julia Zanatta (foto: Mano Dal Ponte)
Pity Búrigo recebe Vanessa Antunes e Julia Zanatta (foto: Mano Dal Ponte)

Um dos temas mais polêmicos e recorrentes da década de 2010 é o feminismo. O movimento é mais antigo, mas tomou grandes proporções nos últimos anos. Quem defende, afirma que buscam apenas a igualdade entre os gêneros, e não se tornarem melhores do que homens. O Programa do Avesso, comandado somente por Pity Búrigo no Dia Internacional da Mulher, recebeu uma dupla que pensa totalmente o contrário, elas defendem a continuidade do conservadorismo.

"O povo brasileiro ainda é conservador, a maioria ainda tem medo de se declarar. Pra mim o conceito de família ainda é homem e mulher. Eu não posso definir esse conceito, mas a minha concepção é essa", afirmou a dona de casa Vanessa Antunes, que é formada em assistência social, mas optou por não trabalhar na área e cuidar da família.

As duas são a favor da liberdade da mulher, para escolher o que fazer. A jornalista Julia Zanatta destacou que as feministas lutam por isso, mas segundo ela, se uma mulher decide ser dona de casa, é tratada com outro olhar.

"O feminismo teve suas vantagens, mas hoje parece uma inveja dos homens. O feminismo é um modismo radical criado pela mídia de esquerda que come caviar", disse. A dupla acredita que a mulher deve ter controle e sempre estar à disposição para ouvir o companheiro.