Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Moacir Pereira: Os processos de impeachment e o atraso de repasse aos hospitais

Prosseguimento do segundo processo de impeachment foi aprovado na Alesc
Marciano Bortolin
Por Marciano Bortolin Criciúma, SC, 21/10/2020 - 09:05Atualizado em 21/10/2020 - 09:16
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

No comentário desta quarta-feira, 21, na Rádio Som Maior, Moacir Pereira falou da aprovação do prosseguimento do segundo voto de impeachment contra o governador Carlos Moisés da Silva (PSL) e também do atraso do repasse aos hospitais filantrópicos. “O resultado da votação do segundo pedido de impeachment do governador Carlos Moisés da Silva (PSL), confirmou todas as previsões, inclusive aquele do aumento do resultado final no comparativo com o primeiro requerimento. No processo dos respiradores, o governador obteve apenas dois votos, da líder governista na Alesc, Paulinha (PDT) e do Coronel Mocelin (PSL). Perdeu o voto do deputado Vicente Caropreso (PSDB), que foi receber atendimento no hospital e do deputado Bruno Souza (Novo) que votou contra o primeiro impeachment e desta vez aprovou o prosseguimento do processo dos respiradores e fez críticas contundentes ao governador do estado”, falou.

Moacir Pereira ainda lembrou que o presidente da Alesc, Julio Garcia (PSD), voltou a se abster. “Como nas votações anteriores, absteve-se de votar nesta questão dos respiradores. Com a decisão, Santa Catrina terá outro fato inédito: dois tribunais especiais de julgamento do impeachment do governador. Os dois colegiados mistos começarão a funcionar na próxima semana depois que forem eleitos os cinco deputados e sorteados os cinco desembargadores, seguindo o mesmo ritual do primeiro, que trata da isonomia salarial dos procuradores do Estado. Dois processos distintos, os resultados continua, sendo uma incógnita, por mais que a população saiba a posição dos cinco parlamentares que irão apreciar o primeiro processo, o voto dos desembargadores são ignorados completamente”, ressaltou.

Moacir Pereira também tratou do repasse aos hospitais. “O Estado está enfrentando outro problema: o atraso do repasse aos hospitais filantrópicos há mais d e80 dias. Hospitais que aumentaram a capacidade para combater a Covid-19”, pontuou.

Confira o comentário na íntegra: