Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Moacir Fernandes e a vontade de ter Rampinelli no Tigre novamente

Empresário, que deve assumir a presidência em 2021, revelou as suas intenções ao Programa Adelor Lessa
Marciano Bortolin
Por Marciano Bortolin Criciúma, SC, 01/09/2020 - 09:39Atualizado em 01/09/2020 - 09:46
Foto: Arquivo / 4oito
Foto: Arquivo / 4oito

Muitas pessoas deixaram o nome marcado na história do Criciúma E.C. seja dentro como fora de campo e dois deles são citados por Moacir Fernandes para voltar ao clube no ano que vem quando ele deve assumir a presidência no lugar de Jaime Dal Farra: Waldeci Rampinelli e Lesbon Aguiar.

Na sexta-feira, pelo menos 20 empresários e investidores participaram de reunião para tratar do futuro do Tigre que encaminhou Anselmo Freitas na vice-presidência já em 2020 e Fernandes no comando a partir de 2021. “Nós precisamos conversar com outras pessoas. Participou da reunião o Waldeci Rampinelli que já teve participação conosco, campeão da Série B, tem vivência no futebol. Acho que seria um retorno possível. Não só ele, como gostaria de trazer o Lesbon Aguiar que teve uma passagem muito boa, interessante para o aprendizado. Precisamos de no mínimo dois, porque precisamos ter uma estrutura muito forte no profissional, mas também no amador. Um só não daria conta, teria que ser dois vices de futebol. Temos que investir muito no amador para ter retorno financeiro e no profissional ter um comando muito firme”, citou Moacir Fernandes em entrevista ao Programa Adelor Lessa, da Rádio Som Maior. 

Rampinelli em sua passagem pelo Tigre em 2012.  Ele também estava no clube no acesso de 2002, com Moacir Fernandes na presidência

Mas o ex-presidente do Tigre deixa claro que ainda não conversou com os dois e que trazê-los de volta é uma vontade sua. “Eu não conversei com o Rampinelli. Eu não conversei com o Lesbon. Eu estou citando nomes que poderão advir inclusive como parte de investidores que podem ajudar neste investimento que vai ter que ser feito para que se faça um bom time para trazer a torcida de volta e melhorar a situação de toda a nossa região”, relatou.

Fernandes ainda comentou sobre a transição e a participação do atual presidente Jaime Dal Farra no encontro da semana passada. “Colocamos 20 pessoas, alguns investidores e foi proveitosa. A primeira que se definiu alguma coisa e o que ficou bem definido é que o Anselmo Freitas assume a vice-presidência já para analisar e começar a transição. Conversamos com o Jaime Dal Farra e a gente não sabia como isso ia parar, mas está tendo muito boa vontade dele para fazer com que as coisas aconteçam para que não haja um trauma muito grande nesta transição. O Jaime não se nega em nenhum momento em fazer rescisão do mandato, porque ele tem mandato até o fim do ano que vem. Ele não se nega e deixou isso claro que faz a renúncia em prol de uma transição afinada com ele, com os conselheiros para que haja uma transição pacifica, sem problema nenhum”, salientou.

Próximos passos

Fernandes comentou também que a partir desta semana o projeto será definido. “Obviamente que não precisa eu ser o presidente. Fui procurado em casa pelo Anselmo, pelo Jaime Dal Farra para arrumar uma forma pacífica de transição e é neste sentido que eu estou trabalhando. Inclusive já com algum porte financeiro, nós temos que fazer um bom time, fazer com que os torcedores, os associados voltem ao clube e que a gente tenha condições de fazer um time competitivo, mas prevendo sempre os prolemas financeiros que vão surgir e que temos que sanar sem problema”, enfatizou.

Confira a entrevista completa de Moacir Fernandes ao Programa Adelor Lessa, da Rádio Som Maior: