Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Menos homicídios no estado, mais na Amrec

Secretaria de Segurança Pública divulga novo relatório com números da violência em Santa Catarina
Denis Luciano
Por Denis Luciano Florianópolis, SC, 09/09/2019 - 15:52Atualizado em 09/09/2019 - 15:54
Divulgação
Divulgação

De 1º de janeiro até hoje, Santa Catarina registrou 451 homicídios. Uma queda substancial em relação ao mesmo período do ano passado, quando houve 566 mortes. Na região carbonífera, porém, o relatório aponta para acréscimo. Foram 22 ocorrências em 2018 e 26 neste ano. Os números constam do Boletim Semanal de Indicadores de Segurança Pública em Santa Catarina, divulgado nesta segunda-feira, 9, pela Secretaria de Segurança Pública do Estado.

Em Criciúma o número de homicídios segue estável, em 15, repetindo a mesma quantidade do mesmo período em 2018 e 2017. Em 2016 foram 26 casos. Neste ano, os demais homicídios da Amrec estão em Içara (4), Balneário Rincão (2), Nova Veneza (2), Forquilhinha (2) e Siderópólis (1). O destaque negativo de acréscimo em relação ao ano anterior, inclusive mencionado pelo boletim, está em Içara, que no mesmo período de 2018 não tinha registro de homicídios. 

A oscilação na Amrec nos últimos quatro anos acusa 42 homicídios em 2016 e 30 em 2017, no mesmo período, ante os 22 do ano passado e os 26 deste ano. Na região da Amesc houve acréscimo de um caso, de 13 para 14. Os números deste ano estão em Araranguá (7), Balneário Arroio do Silva (3), Sombrio (2), Balneário Gaivota (1) e Turvo (1)

Em nível estadual, a oscilação da média histórica dos homicídios registrou o índice mais alto para o período, nos últimos quatro anos, em 2017, com 694 casos. Houve redução nos latrocínios: 20 neste ano, contra 30 de 2018, 44 de 2017 e 42 de 2016. Nas lesões graves seguidas de morte foram 16 casos neste ano, com 18, 20 e 14 nos anos de 2018, 2017 e 2016, respectivamente. Em confrontos com a Polícia Civil foram 3 mortes neste ano e, com a Polícia Militar, 49 óbitos.

O número de roubos também caiu, de 8.390 para 7.601, bem como o de furtos, de 69.607 para 68.294 registros.