Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
4

Mário Frias destaca preocupação com setor de eventos e projetos culturais para região

Secretário da Cultura esteve no sul catarinense nesta terça-feira, ao lado do deputado Daniel Freitas
Paulo Monteiro
Por Paulo Monteiro Criciúma - SC , 13/10/2020 - 19:05Atualizado em 13/10/2020 - 19:35
Foto: Vitor Netto / 4oito
Foto: Vitor Netto / 4oito

O secretário nacional da Cultura, Mário Frias, esteve no sul de Santa Catarina nesta terça-feira, 13, cumprindo agenda ao lado do deputado federal Daniel Freitas (PSL). Ao lado do deputado criciumense, Mário visitou municípios como Nova Veneza, Treviso, Siderópolis e Forquilhinha para conversas sobre projetos culturais nas cidades, marcando presença também no programa Ponto Final, da Rádio Som Maior, onde falou sobre o cargo federal, a relação com Bolsonaro e as projeções para o estado.

Há mais de 100 dias na pasta, Mário afirma que segue trabalhando em seus projetos e “organizando a casa”. “Trouxemos de volta as vinculadas como Fundação Palmares e a Funarte. Isso foi um movimento importante, pro presidente seria muito difícil arrumar a casa sem criar e conhecer a fundo os setores. Nós digitalizamos o acervo da Casa Rui Barbosa, investimentos no Prêmio Camões, um prêmio internacional de língua portuguesa, e desenvolvemos os incisos para a lei Aldir Blanc”, ressaltou o secretário.

Empossado pelo presidente no cargo de secretário da Cultura, Mário reforça que vem trabalhando para mostrar que o Brasil está sob a nova direção de Bolsonaro. O secretário ressalta que está no cargo não apenas para buscar cumprir as promessas de campanha do presidente em sua área de atuação como também para trazer mudanças.

“Eu sou um gestor, fui escolhido pelo presidente para ser o executivo da pasta, da Cultura. Eu to ali para fazer uma administração enxuta, respeitar o dinheiro público e fazer valer algumas promessas de campanha do presidente que tem que ser cumpridas e faremos com que sejam”, disse.

Atenção com o setor de eventos

Com atividades suspensas em Santa Catarina há praticamente sete meses, desde meados de março, o setor de eventos é um dos que mais vem sofrendo com a paralisação no estado. Recentemente, o Governo Federal distribuiu um auxílio aos profissionais do segmento cultural, através da Lei Aldir Blanc, como forma de subsídio ao setor.

O deputado Daniel Freitas reforça a importância do setor no estado e critica as ações do governo estadual em relação a liberação de eventos públicos, como casamentos, e o mantimento da suspensão dos privados. “Quer dizer então que em evento público não se pega Covid?”, criticou.

Já Mário destaca que é preciso olhar para além das empresas que lidam com o segmento, dando atenção às famílias que estão por trás dos empreendimentos de eventos e cultura no Brasil. “O setor da economia criativa movimenta muito a economia do Brasil. Quando falamos de eventos falamos de eventos pequenos, médios e grande de programação anual, e estamos derrubando um mercado inteiro”, disse.

Ações para a região

A secretaria de Cultura está com projetos em vista para os municípios do sul de Santa Catarina. Segundo Daniel, a ideia é de que haja a reestruturação do museu de Forquilhinha e Treviso. Em Siderópolis, os gestores receberam o projeto do prefeito para a criação de um centro cultural aberto, com aulas de dança, música e uma programação anual. Para Nova Veneza, uma atenção diferenciada: a criação de um festival de cinema. “Temos a ideia de levar a Nova Veneza um festival de cinema a exemplo do que aconteceu em Gramado, onde foi crescendo e se desenvolvendo. Acho que Nova Veneza tem essa pegada e perfil, temos interesse e vamos em busca de tirar esse sonho do papel”, pontuou Daniel.

Ouça a entrevista completa: