Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui

Lideranças vão vistoriar rodovias do sul

AMESC lidera comitiva que vai até as rodovias em pavimentação nas serras da Rocinha e do Faxinal
Por Araranguá, SC, 09/03/2019 - 13:10
Fotos: Denis Luciano / A Tribuna
Fotos: Denis Luciano / A Tribuna

Autoridades da região estão mobilizadas em torno de necessárias melhorias nas rodovias das serras da Rocinha e do Faxinal, no extremo Sul catarinense. Os dois corredores turísticos e de exportação, importantes para a integração da região com o nordeste gaúcho, motivam uma mobilização que será liderada pelo prefeito Arlindo Rocha, de Maracajá, na próxima segunda-feira.

Rocha, que também preside a Associação dos Municípios do Extremo Sul Catarinense (AMESC), estará reunindo um grupo de técnicos e políticos para visitas às obras nas duas estradas na próxima segunda-feira. “A intenção da visita é reunir a classe política para verem como estão as obras. A Serra do Faxinal está parada há três anos e não temos previsão nenhuma de término, é uma obra estadual. Enquanto a Serra da Rocinha é federal, uma BR, e está prevista para terminar em 2020”, comenta o prefeito de Maracajá, Arlindo Rocha.

Serra do Faxinal

O Governo do Estado tentou durante o ano passado, junto à União, a liberação de R$ 723 milhões junto ao Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES), com o objetivo de tirar do papel diversas obras. Entre elas, a pavimentação da estrada da Serra da Rocinha, entre Praia Grande e a cidade gaúcha de Cambará do Sul. 

O impasse é burocrático, já que a Secretaria do Tesouro Nacional barrou o financiamento exigindo que o Estado divulgasse alguns balanços de 2015 para cá, com enfoque na Lei de Responsabilidade Fiscal.

Serra da Rocinha

Enquanto isso, as obras na BR-285 estão em andamento. A interdição persiste, mas carros e caminhões de pequeno porte e motocicletas furam as barreiras e conseguem passar, o que gera apreensão no trânsito entre Timbé do Sul e a cidade gaúcha de Bom Jesus. Há diversas placas orientando os motoristas sobre a interrupção do tráfego e os riscos de andar pela região. Há apenas o tráfego local liberado, para moradores dos arredores.

Obras em andamento na BR-285

“Estão infringindo o código de trânsito Brasileiro. Penso que é uma lei e tem que ser cumprida”, comenta o secretário de Estado da Defesa Civil,  tenente-coronel João Batista Cordeiro Júnior.

Confira mais detalhes na edição de segunda-feira de A Tribuna.