Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Joinville cortou despesas durante a crise e pensa na infraestrutura

Presidente do Confaz, Flávio Alves, diz que a reforma tributária deve ser bem pensada
Erik Behenck
Por Erik Behenck Joinville - SC, 03/07/2019 - 09:56
(foto: reprodução)
(foto: reprodução)

Durante a crise econômica, Joinville apertou o cinto e economizou o que foi possível. Em entrevista ao Programa Adelor Lessa, o presidente do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) e diretor executivo na Prefeitura de Joinville, Flávio Martins Alves, falou sobre a revisão tributária e medidas econômicas tomadas nos últimos anos na cidade.

“Joinville fez um caminho inverso, sabendo que a economia passaria por um momento crítico. A gente trabalhou no corte de despesas, chegando aos R$ 60 milhões por ano”, citou. “A receita foi muito afetada pela crise, então controlamos as despesas. Em 2016 e 2017 foram anos muito difíceis”, completou.

Segundo ele, é fundamental que os empreendedores recebam incentivo tributário, assim é possível não ficar para trás de outras regiões. Acredita que os empresários são importantes para o desenvolvimento da nação, então é necessário tomar cuidados atrair investidores.

Alves comentou sobre a reforma tributária que deverá ser debatida em breve. “Ao nosso entendimento os municípios como um todo perdem, a forma de distribuição que está sendo veiculada. A quantidade de parlamentares que o Sul tem é pequena se comparada com outras partes da nação”, citou.

O presidente do Confaz lembrou ainda que as receitas em controle dos municípios podem ser alteradas. Assim, na cidade o investimento em saúde é maior do que o esperado em Joinville. “As cidades assumem responsabilidade que não são delas. Investem 20% na saúde, sendo que a lei pede 15%. O atual prefeito já investiu R$ 1 bilhão acima do que é pedido”, finalizou.

Confira a entrevista na íntegra:

Tags: joinville