Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui

Homenagens e despedidas para Evaldo Stopassoli

Empresário faleceu na madrugada desta quarta-feira
Por Guilherme Nuernberg Criciúma - SC, 01/04/2020 - 10:16Atualizado em 01/04/2020 - 10:44
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Determinado, visionário, trabalhador e companheiro. Foram estes alguns dos adjetivos mais utilizados por quem buscou definir quem foi Evaldo Stopassoli, de 73 anos, que faleceu na madrugada desta quarta-feira, 1º. O empresário era proprietário de rádios na região e também atuava no ramo imobiliário. Ele deixa dois filhos, esposa, além de uma neta que está por vir.

Stopassoli começou a ganhar a vida aos 12 anos, como carregador de malas em um hotel que pertencia ao grupo Freitas e chegou ao cargo de diretor. Ele era responsável pela área de comunicação do grupo, que incluia várias emissoras de rádio do estado. Também atuou como diretor na Cecrisa. Foi sócio do Jornal do Dia, jornal diário que circulou em Criciúma. Quando saiu do grupo Freitas, comprou as rádios Transamérica e Araranguá e fez da segunda, de acordo com Adelor Lessa, a mais importante emissora do Vale, formadora de opinião do extremo sul do estado.

Adelor Lessa definiu Stopassoli como uma pessoa única, inqueieto, que estava sempre buscando novidades, abrançando projetos. "Ele era extremamente organizado, disciplinado, amigo dos seus amigos, brigava como um leão pelos amigos. Começou a vida como maleiro no hotel Morro dos Convetos, com a vida muito simples, e chegou onde chegou com muita energia, coragem, muita fé e acima de tudo trabalho", contou. "Evaldo era um empreendedor nato, um visionário arrojado. Eu tenho muito orgulho em dizer que Evaldo foi meu padrinho profissionalmente, e foi assim que lhe cumprimentei quando entrei em sua sala em janeiro quando fui visita-lo. Ele vai fazer muita falta", relatou Lessa.

O vice-prefeito de Criciúma, Ricardo Fabris, definiu como impactante a notícia da morte do empresário. "O início da minha vida profissional foi justamente com comando do Evaldo e do Eno Steiner, e perdemos os dois este ano. Ele sempre foi uma pessoa determinada, grande investidor, pensando sempre lá na frente. Na década de 70, 80, ele já tinha uma visão que nós não imaginávamos. Ele construiu uma história aqui em Criciúma e em Araranguá", lembrou Fabris.

Ex-deputado e ex-prefeito de Urussanga, Roberval Piloto, lembra que Stopassoli trabalhou como coordenador de suas campanhas eleitorais. "Uma amizade de mais de 40 anos. Trabalhou nas cinco eleições que fiz, ele era o homem de fazer a rifa, os santinhos. Ninguém está preparado para perder alguém do seu relacionamento. Um grande pai e companheiro da Nobia. Lamentavelmente a vida prepara essas notícias para nós. Conversei com a sua esposa, eles viajaram recentemente para comprar o enxoval do neném que viria, ela disse que ele estava louco que esse neném nascia logo", comentou Piloto. 

Com relação pessoal de longa data, a vida cruzou Evaldo e Cesar Cesa de outra forma, como casamento de seus filhos. "Temos em comum uma neta que está cehgando, ele estava muito feliz mas não conseguiu vê-la", lamentou Cesa. "Se perde, além de um grande amigo, um grande empresário do sul, uma pessoa que ajudou muitos setores, desde os tempos de Cecrisa", relembrou o empresário.

A lembrança da época do grupo Cecrisa veio de Anselmo Freitas, onde teve seu primeiro emprego. "Comecei com 15 anos na Cecrisa com o Evaldo. De quem realmente ele gostava, ele dava de tudo, ele defendia muito os amigos dele. Eu nunca me esqueci, casei muito cedo, com 22 anos, e ele foi um dos únicos diretores que foi no meu casamento na época", relatou Freitas

O prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro, afirmou se tratar de uma perda muito grande para o município. "Eu defino o Evaldo como uma das pessoas mais bem informadas do mundo dos negócios e da política. De conversas de bastidores, era a pessoa mais bem informada. Uma pessoa extremamente séria, honesta, determinado como poucos", comentou.

A Associação Catarinense de Emissoras de Rádio e Televisão (Acaert) emitiu uma nota na manhã desta quarta-feira, 1, lamentando a perda do profissional que ocupou cargos na diretoria da associação como vice-presidente regional adjunto, no período 2003 a 2006, e como membro do conselho consultivo, no período de 2007 a 2010.

Evaldo Stopassoli é, possivelmente, a primeira vítima de Covid-19 em Criciúma. Seu velório será fechado e realizado de forma rápida, restrito apenas a esposa e filhos. O corpo será cremado. As orientações e mudanças foram repassadas pelo Ministério da Saúde e da central funerária, por conta do risco de contaminação de coronavírus.