Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Falta de chuva coloca região sul em alerta

Vários rios estão com os níveis baixos e a previsão é de pouca chuva até janeiro
Gregório Silveira
Por Gregório Silveira Criciúma, SC, 19/10/2020 - 18:35Atualizado em 19/10/2020 - 18:38
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

A falta de chuva já começa a preocupar em muitas regiões do estados. Na divisa de Santa Catarina  com o Rio Grande do Sul, um rio importante para ambos os estado, o Pelotas, está praticamente seco em vários pontos. 

"O modelo coloca pouca chuva para os próximos meses e isso preocupa claro. A precipitação até aparece, mas é pequena. No inverno já foi pouca chuva e a umidade da terra está bem baixa. Na região de Forquilhinha o nível já deve começar a ser monitorado", afirma o climatologista Márcio Sônego.

Novembro e dezembro já são meses com pouca chuva na média histórica da região sul de Santa Catarina. Para se ter uma ideia, em novembro a média é de 128 milímetros de precipitação, sendo que desse total são consumidos 116 pela evapotranspiração, que é a perda de água do solo por evaporação e a perda de água da planta por transpiração. Em Dezembro os valores também se mantém nessa casa. 

Para os dois últimos meses do ano a meteorologia faz uma alerta pela possível chegada do fenômeno La Niña, que deixa o tempo menos chuvoso e altera o clima. "Pode vir a prejudicar plantações de arroz, banana, fumo, pastagens para o gado de leite, milho e maracujá. No caso da banana essa vem menor com algumas doenças que acabam prejudicando a produção. No cultivo de maracujá alguns produtores já estão usando açudes para irrigação localizada", afirma Márcio Sônego.

O Consumo humano também deve ser racionado e consciente nos meses de novembro e dezembro. "Pode faltar água em algumas comunidades do interior. Nas cidades da região de Criciúma acreditamos que as barragens vão dar conta do abastecimento, pois em janeiro e fevereiro a chuva deve aparecer mais", adianta Sônego.

Outro problema é que a região sul já vem de um histórico de estiagem. Dos 12 meses que compreendem junho do ano passado a maio desse ano, pelo menos 7 foram de pouca ou quase nenhuma chuva.   

La Niña 
É um fenômeno natural que consiste na diminuição da temperatura da superfície das águas do Oceano Pacífico Tropical Central e Oriental. Sua ocorrência gera uma série de mudanças significativas nos padrões de precipitação (chuva) e temperatura.