Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
4

Emoção e muitas histórias de vida marcam a solenidade de abertura do Seminário Um Tributo a Zilda Arns

Doze personalidades e entidades foram homenageadas nesta sétima edição com a medalha "Zilda Arns Neumann"
Redação
Por Redação Forquilhinha, SC, 06/10/2021 - 18:28Atualizado em 06/10/2021 - 18:29
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

 Emoção e muitas histórias de vida marcaram a solenidade de abertura do Seminário Nacional e Internacional de Políticas Públicas para a Primeira Infância - Um Tributo a Zilda Arns, realizada na manhã da última quarta-feira, dia 6, no auditório do Hotel Oma Zita, em Forquilhinha. Os homenageados enalteceram suas histórias de vida em prol da primeira infância. 

A Delegada Waldelice da Silva Carneiro, do Macapá, emocionada após a leitura do seu currículo disse que não é fácil ser policial no Brasil com honra e relembrou o seu primeiro caso que atuou. “Fiquei chocada, pois um pai havia apertado o peito de seu filho de apenas 8 meses de idade, quebrou todas suas costelas, levando-o a morte. A partir daí eu dediquei a minha vida a crianças e adolescentes. Foram 27 anos trabalhando em prol dessa causa, e ainda é pouco, mas faria tudo de novo. Agradeço por esse momento e reconhecimento”, afirma.

A desembargadora catarinense, Rosane Portella Wolff também enfatizou a sua emoção. “Digo que Deus tem sido muito bom comigo. Me concedeu extraordinárias bênçãos e pessoas excepcionais que sempre estiveram ao meu lado. E sou grata a essas pessoas por poder estar sendo homenageada neste momento. Amo minha família e tenho reconhecimento aos meus pais, que me proporcionaram estar aqui, estudar, ter carinho e atenção e tudo que nós nos propomos é lutar por aqueles que não tem muitas possibilidades. É por isso que estamos aqui. Os iguais se atraem. O bem também precisa fazer barulho. A todos os presentes espero que continuemos essa caminhada, fazendo da causa da criança a nossa causa. Uma causa de vida, de ser e principalmente, continuar honrando aquela que nos precedeu e que através do Instituto Zilda Arns nos proporciona esses momentos de discussão, de reflexão e que muito nos reverenciam a ela honrando a sua memória”, pontua. 

A presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, Lilian Arns agradeceu a cada participante e destacou que todos tem um pouco de Zilda Arns. “É um evento construído a muitas mãos e a cada ano mais parceiros agregam a esse movimento em favor da primeira infância e dessa discussão de políticas públicas efetivas para que as crianças tenham vida e vida em abundância como dizia Dra. Zilda. Agradecer a todos os envolvidos para tornar esse evento uma referência sobre a primeira infância”. completa

“Forquilhinha sua terra natal continua mantendo vivo o seu legado. E para enaltecer ainda o seu trabalho iremos inaugurar o Memorial Zilda Arns, cujos recursos para a sua construção foram através de doadores voluntários. Voluntariado esse que representa todo o trabalho da Pastoral da Criança. Será uma forma singela de o município de Forquilhinha reconhecer todo trabalho, amor e doação dessa filha ilustre que ganhou o mundo por gestos e ações tão nobres que fizeram e fazem a diferença”, afirma o prefeito José Cláudio Gonçalves.

Medalha Dra. Zilda Arns

Doze personalidades e entidades foram homenageadas nesta sétima edição com a medalha "Zilda Arns Neumann", por se destacarem no seu trabalho em favor de crianças e adolescentes. São eles, Acer Brasil e Jonathan Hannay, da Inglaterra; José Raimundo Carneiro de Oliveira, jornalista da Rede Globo, de Salvador; o vice-presidente da Fraternidade Sem Fronteiras, Ranieri Lima Dias, da África; Irmã Rosi Bertoldo, de REPAN, de Manaus; Irmã Maria Henriqueta Cavalcanti, da Comissão Justiça e Paz da CNBB, de Belém; Luis Pederneras, Presidente do Comitê dos Direitos da Criança da ONU; Padre José Rosario Marroquin Farrera, da Pastoral De Pueblos Originarios Y Afromexicanos, do México; a Desembargadora Rosane Portella Wolff, de Florianópolis; a Delegada Waldelice da Silva Carneiro, de Macapá, a Fundación Fe Y Alegría, da Colômbia e o Serviço de Acolhimento em Família Acolhedora Regional de Apiúna, Ascurra e Rodeio.
 

A promoção do evento é do Governo de Forquilhinha em parceria com a Pastoral da Criança, UNICEF,  CMDCA,  e Instituto Arns,  e conta com o apoio da Unesc, Fecam, Rede Nacional Primeira Infância, Movimento Nacional Direitos Humanos, Fundação Abrinq, entre outros.