Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
4

“Eles querem forçar a transferência e ir para penitenciárias não tão rigorosas”, diz juíza 

Débora Zanini, que está de férias, falou que detentos querem os direitos, mas não os deveres
Marciano Bortolin
Por Marciano Bortolin Criciúma, SC, 14/05/2021 - 17:40Atualizado em 15/05/2021 - 08:25
Foto: Heitor Araujo/4oito
Foto: Heitor Araujo/4oito

Para a Juíza Titular da Vara de Execuções Penais de Criciúma, Débora Zanini, os detentos iniciaram a rebelião na Penitenciária Sul de Criciúma nesta sexta-feira, 14, na busca por forçar a transferência. “Acredito que aconteceu porque a Penitenciária Sul é rigorosa. Ela é de segurança máxima e tem todos os rigores e os presos quando vem para cá não gostam da disciplina rígida. Eles têm os seus direitos, mas têm os seus deveres e por isso resolveram fazer esta rebelião reivindicando direitos. Os direitos humanos são respeitados, não entendo esta rebelião. Na verdade eles querem forçar a transferência e ir para penitenciarias não tão rigorosas. Agradeço a todos os policias que participaram desta ação esperamos que tudo se resolva da melhor maneira possível”, salienta.

Débora retorna de férias no próximo dia 24 de maio e uma de suas primeiras ações, segundo ela, será ir até a penitenciária. “Estou em férias, mas fiquei sabendo e bastante preocupada. Alguns detentos sabiam, da minha ausência, então, possivelmente sabiam que eu não estava e fizeram esta rebelião querendo direitos que eles tem. Eles têm os seus direitos. Têm cobertores, quatro refeições diárias, claro que há uma superlotação, mas nada exagerado comparado com o cenário estadual e do país. Estamos com superlotação, não há dúvidas, mas todos têm colchões e o conforto mínimo”, pontua.