Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Dois novos padres na Diocese de Criciúma

Clero ganha o reforço dos diáconos Jadilson Tasca e Eduardo Felizardo de Andrade
Por Redação Criciúma, SC, 11/07/2019 - 14:01Atualizado em 11/07/2019 - 14:34
Eduardo e Jadilson, os novos padres da Diocese / Divulgação
Eduardo e Jadilson, os novos padres da Diocese / Divulgação

A alegria toma conta de comunidades, vocacionados, benfeitores e famílias. No final deste mês de julho, dois novos presbíteros devem integrar o clero da Diocese de Criciúma. No dia 20, às 15 horas, ocorre a ordenação sacerdotal do diácono Jadilson Tasca, na Igreja Matriz Santo Alexandre, em Treviso. No dia 27, também às 15 horas, a ordenação sacerdotal do diácono Eduardo Felizardo de Andrade, na Catedral São José, em Criciúma.

Ambas as ordenações, seguindo o costume, serão antecedidas por uma Semana Vocacional, quando ocorrem missas e visitas às famílias nas comunidades, promoção vocacional nas escolas, momentos de oração e adoração nas paróquias onde os vocacionados serão ordenados. Em Treviso, o período acontece de 15 a 19 de julho; em Criciúma, de 22 a 26. 

Atualmente, a Diocese de Criciúma conta com 43 seminaristas diocesanos e 54 padres. Até o fim do ano, serão 57 deles, com a ordenação do diácono Richardson Souza, marcada para 21 de setembro.

Jadilson Tasca

O seminarista Jadilson, filho de Rosina Aliati e Hilário Tasca, nasceu em 30 de agosto de 1989, em Lauro Müller (SC), e é irmão de Jaison, Giane e Jadilane. Sua paróquia de origem é a dedicada a Santo Alexandre, em Treviso, onde reside sua família e onde o chamado à vocação aconteceu, aos 21 anos de idade, quando questionado sobre a vocação para ser padre por uma liderança da paróquia, a amiga Lourdes Lorenzon. Mais tarde, recebeu o apoio do conterrâneo, padre Daniel Pagani, e do pároco da época, padre Arcângelo Bússolo, para entrar no seminário.

Seu lema de ordenação presbiteral é “Fazei tudo o que Ele vos disser” (Jo 2,5), extraído do Evangelho que narra o milagre das Bodas de Caná. “A transformação da água em vinho, nas bodas de Caná, tem uma demonstração da absoluta confiança de Maria em Jesus. Mesmo Ele alegando que sua hora ainda não havia chegado, Maria manteve total confiança e disse aos serventes: ‘Fazei tudo o que Ele vos disser’. Jesus chama os empregados e manda encher de água os seis potes vazios. Em seguida, manda tirar e levar ao mestre sala. É interessante perceber que Maria não pede nada a Jesus, simplesmente lhe apresenta o fato: ‘Eles não têm mais vinho!’ Com esta atitude, ela entrega o problema a Jesus, confiante que Ele irá agir. E o primeiro milagre acontece: Jesus transforma a água em vinho: vinho bom, vinho da alegria. ‘Fazei tudo o que Ele vos disser’ corresponde à exortação ‘A Alegria do Evangelho’, que o Papa Francisco, nesses últimos tempos, tem pedido para nós refletirmos, isso porque a Igreja precisa ser novidade no mundo de hoje. Nossa Senhora tem um papel importantíssimo para a Igreja quando Ela faz a cada um de nós este mesmo pedido. Que ao iniciar minha caminhada como presbítero, Maria me ajude em tudo fazer aquilo que seu Filho quer. E que o vinho da alegria permaneça em meu ministério, para que seja um ministério frutuoso e que leve as pessoas a buscar, cada dia mais, o Reino de Deus! Meu desejo, como padre, é, em tudo, fazer a vontade d’Aquele que me enviou a servir a Igreja de Deus, aqui em nossa Diocese; poder contribuir para que o Reino de Deus aconteça em nosso meio. Ser um padre configurado ao Cristo Bom Pastor, daquele que ama suas ovelhas. Destaco, aqui, a Carta aos Hebreus: ‘Todo sumo sacerdote é tirado do meio dos homens e instituído em favor dos homens nas coisas que se referem a Deus, para oferecer dons e sacrifícios pelos pecados. Sabe ter compaixão dos que estão na ignorância e no erro, porque ele mesmo está cercado de fraqueza’, que será a Segunda Leitura de minha ordenação”, frisa Jadilson.

Jadilson ingressou no Seminário Diocesano Nossa Senhora de Caravaggio (Nova Veneza), em 2011, cursou Filosofia no Seminário Filósofico de Santa Catarina (Brusque), de 2012 a 2014, e Teologia no Seminário Teológico Bom Pastor (Florianópolis), de 2015 a 2018. Atuou na Paróquia Santa Ana (Canelinha), comunidades Nossa Senhora de Fátima (Blumenau) e Santa Catarina de Alexandria (Brusque) e fez estágio pastoral nas paróquias São José (Criciúma) e São Miguel Arcanjo (Içara). Atualmente, está a serviço da Paróquia Nossa Senhora de Fátima, na região de Cidade Mineira (Criciúma), e é um dos assessores eclesiásticos da Catequese de Iniciação à Vida Cristã na Diocese. Jadilson cursou, de 2016 a 2017, pós graduação em Catequese, pela Faculdade Católica de Santa Catarina.

Eduardo Felizardo de Andrade

O seminarista Eduardo, filho de Elizabete Felizardo e Valter José de Andrade, nasceu em 27 de agosto de 1981, em Criciúma (SC), e é irmão de Ellem e Beatriz. Natural da Paróquia Nossa Senhora da Salete, no bairro Próspera, hoje sua família é membro da Paróquia São José. A vocação de Eduardo surgiu após a realização de trabalhos pastorais e dedicando sua vida à Igreja. 

Seu lema de ordenação presbiteral é “Seduziste-me, Senhor; e eu me deixei seduzir” (Jr 20,7). “Este lema sintetiza toda a minha história de vida e vocação quando, na juventude, aos 24 anos, fui atraído pela pessoa de Jesus Cristo. A partir deste encontro, minha vida tomou um novo sentido existencial, e percebi a voz interior que me impulsionava a consagrar toda a minha vida por esta bela causa que é o Evangelho. Minha decisão de entrar no seminário demorou um pouco, pois tinha consciência que esta opção muito nobre de ser padre, seria um caminho muito longo. O processo formativo no seminário levou dez anos, entre alegrias, incertezas e crises que fazem parte desse caminho, mas com a grande certeza de que Deus estava ao meu lado, como também amigos e a família, que me apoiaram e me levantaram nos momentos de queda. Quando comecei a dar resposta a este chamado, minha primeira intenção foi buscar ser um homem encontrado e feliz em minha vida. Na vocação sacerdotal, encontrei o que procurava. Nesta caminhada de discernimento vocacional, experimentei uma alegria interior que nunca tinha vivenciado, que me impulsionava a superar todos os desafios. Assim, quero ser um padre realizado enquanto pessoa, que anuncie com vivacidade a boa nova, acolhendo as pessoas e sendo uma presença da Igreja no meio do povo”, pontua Eduardo. 

Eduardo ingressou no Seminário Diocesano Nossa Senhora de Caravaggio (Nova Veneza), em 2009, cursou Filosofia no Seminário Filósofico de Santa Catarina (Brusque) de 2010 a 2012, e Teologia no Seminário Teológico Bom Pastor (Florianópolis), de 2013 a 2018. Já atuou nas paróquias Santa Cruz (Blumenau), Sagrada Família (Araranguá), Nossa Senhora da Conceição (Maracajá) e São José (Catedral). Atualmente, faz experiência pastoral na Paróquia Santo Agostinho, na região de Rio Maina (Criciúma), e é assessor eclesiástico da Pastoral Carcerária na Diocese.