Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Do ônibus com carroceria de madeira aos mais de 150 veículos

Expresso Coletivo Forquilha completa 60 anos em julho, conheça a história
Por Clara Floriano Criciúma - SC, 16/07/2018 - 10:46Atualizado em 16/07/2018 - 10:56
(foto: Arquivo Histórico/ Prefeitura de Criciúma)
(foto: Arquivo Histórico/ Prefeitura de Criciúma)

No dia 25 de julho de 1958 Mário Tiscoski fundou Grupo Forquilhinha. No ano de 1976, o empresário Fidelis Barato formou a sociedade Mario Tiscoski e Cia. O Grupo passou a chamar-se Expresso Coletivo Forquilhinha Ltda. no dia 30 de maio de 1980. Atualmente, é o maior no ramo de transporte urbano do sul catarinense, com mais de 150 ônibus e aproximadamente 500 colaboradores.

Neste mês, a Expresso Forquilhinha completa 60 anos de história. “A empresa iniciou com a ideia do meu pai em atender as necessidades da comunidade de Forquilhinha, interligando com Criciúma, que é o principal polo da Região. Na época tinha poucos recursos, então reuniu amigos e conseguiu comprar um ônibus, um Chevrolet Gigante 1942, cuja a carroceria era de madeira. As estradas eram ruins. Então normalmente os maiores desafios eram problemas de quebra do ônibus. Com o passar do tempo a empresa foi ampliando e crescendo”, contou Davi Tiscoski, filho de Mario Tiscoski, atual diretor e sócio da Expresso Forquilhinha.

(foto: reprodução/ arquivo/ Grupo Forquilhinha)

Eram quatro viagens entre Criciúma e Forquilhinha. O ônibus vinha para Criciúma pela manhã, retornava para Forquilhinha ao meio-dia, voltava para Criciúma 13h e às 18h fazia o retorno para Forquilhinha. As viagens demoravam aproximadamente uma hora. “Meu pai era motorista, chapeador, pintor e mecânico. Eu com 9 anos era cobrador do meu pai. Posteriormente eu realizei várias atividades na empresa e permaneço até a presente data”, relembrou.

A empresa cresceu aos poucos. “Penso que tem duas etapas. A primeira foi quando ele viu que a cidade aqui estava crescendo e ele viu a necessidade de vir e estabelecer a empresa aqui. Essa foi uma decisão que eu considero importante. E, posteriormente, a empresa precisava a crescer e ele conseguiu acertar com o Fidelis Barato e eles conseguiram fazer investimentos importantes e aí a empresa começou a crescer bastante”.

(foto: reprodução/ arquivo/ Grupo Forquilhinha)

O Conselho

O processo de implantação do Conselho de Administração da empresa começou em outubro de 2015. "Iniciamos um processo de profissionalização da gestão da empresa a convite dos acionistas com o objetivo de contribuir no processo de maximização da gestão profissional da empresa. A empresa era profissionalizada, mas fizemos uma maximização deste processo. Com isso trouxemos um gestor profissional que não é um dos acionistas e que conduz as atividades operacionais e permite que os acionistas tenham um papel estratégico”, contou Carlos Amodeu, presidente do Conselho da empresa.

(foto: reprodução/ Grupo Forquilhinha)

O trabalho é feito para estruturar a empresa para que possa dar saltos de crescimento de forma consistente, assegurando a sustentabilidade. Amodeu ressalta que, com a evolução tecnológica e mudança cultural, há grandes desafios por vir nos próximos anos. “Temos desafios no que se refere ao entendimento de como serão as atividades que temos hoje, não num universo de 60, mas de três a cinco anos. Então pensamos nas mudanças que podemos ter no setor de transporte público para que possamos estar sempre atualizados e acompanhar as mudanças, fazendo com que a empresa mantenha-se forte e atualizada”, afirmou.

Confira a entrevista completa: