Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui

Distúrbios alimentares tratados de maneira séria no Avesso

Programa recebeu uma nutricionista, um endocrinologista e uma pessoa que venceu a anorexia
Vitor Netto
Por Vitor Netto Criciúma - SC, 05/06/2020 - 19:54
Foto: Vitor Netto / 4oito
Foto: Vitor Netto / 4oito

Dietas malucas, gordofobia, distorção de imagem e distúrbios alimentares. Assunto sério, porém, necessários de serem tratados. Assim foi o programa Do Avesso desta sexta-feira, 5, que recebeu a nutricionista Morgana Pesenti, o endocrinologista Daniel Dal Toé e a agente de viagens Nara Casagrande, que venceu uma anorexia. 

Os Transtornos Alimentares são perturbações na alimentação, podendo levar ao emagrecimento, à obesidade ou outros problemas físicos.

Nara morava em Porto Alegre e começou a emagrecer de maneira exagerada. Até que determinado a sua mãe fez com que ela se mudasse para Criciúma para se tratar. “Eu tive anorexia com 17 anos e eu vi que a comida estava me atrapalhando, eu não conseguia comer. Eu tive esse transtorno, e na minha cabecinha que eu só queria emagrecer, não tinha vontade de comer e me enxergava enorme de gorda. Hoje eu vejo fotos e fico apavorada de tão magra”, conta Nara. 

De acordo com a nutricionista Morgana, a Associação Americana de Distúrbios Alimentares listou os principais problemas em 1980. Os distúrbios mais comuns são a anorexia e a bulimia. “Hoje temos a anorexia purgativa e a restritiva. A restritiva não tem o vômito nem o uso de laxantes, só se restringe de alimentação e faz muitos exercícios. A bulimia não tem baixo peso, é um peso adequado. Não tem uma alteração na balança”, explica. 

Conforme o endocrinologista, grande parte dos transtornos são de difíceis percepções para as pessoas que sofrem. “Isso vale para grande maioria dos transtornos de ordem mental. Esse reconhecimento da pessoa é o que muitas vezes demora o diagnóstico. E demorando o diagnóstico, o tratamento muito mais”, enfatiza. “Um gatilho importante que temos visto é sobre as dietas muito restritivas. Elas sim podem ser um gatilho para alguns transtornos e a gente não percebe isso”, completa. 

O tratamento visa restaurar o comportamento alimentar do paciente, além de restabelecer o peso considerado normal para o indivíduo. A ajuda de profissionais é essencial para um bom tratamento.