Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui

Desistiu da candidatura

José Nazareno Marcelino não concorrerá a eleição da Larm
Por Lucas Renan Domingos Criciúma, SC, 12/02/2019 - 08:56Atualizado em 12/02/2019 - 08:56
Foto: Mano Dal Pont/Rádio Som Maior
Foto: Mano Dal Pont/Rádio Som Maior

Hoje, às 19h, na sede da Liga Atlética da Região Mineira (Larm) acontecerá a Assembleia Geral para a escolha da nova Diretoria da entidade. A eleição estava para ser uma concorrência entre a Chapa União dos Clubes, encabeçada por Guilherme Gomes, e a Chapa do Novo, que tinha como candidato à presidência o árbitro José Nazareno Marcelino. Tinha. Porque Marcelino não irá mais disputar o cargo.

A informação foi confirmada pelo próprio árbitro na tarde de ontem. “Conversei com o Guilherme Gomes e resolvi tomar a decisão de retirar a minha chapa da eleição”, afirmou. “Acho que ele tem ideias muito parecidas com o que acredito que podem ser feitas na Larm. Como no grupo dele estão cinco presidentes de clubes da região, ficará mais fácil para o Guilherme implantar suas propostas, pensando junto com esses clubes”, emendou Marcelino.

O agora ex-candidato atual no setor de arbitragem da liga há mais de 20 anos. “Tenho uma experiência grande no futebol amador”, salientou. Por conta disso, acredita que a sua participação na reformulação na Larm pode ocorrer de outras maneiras. “Pretendo contribuir a tudo que o Guilherme precisar. Acho que estou aqui para ajudar. A minha decisão foi pensando em unificar forças para não prejudicar o futuro da liga”, completou.

Caminho livre para Guilherme Gomes

Como o prazo para a inscrição de novas chapas se encerrou na última semana, dia 7 de fevereiro, a eleição de Guilherme Gomes é quase certa. “Mesmo que houver a desistência, a Chapa União dos Clubes precisará passar por uma votação de qualquer forma”, explicou o ainda presidente da Larm, Emerson Lodetti.

Ele ainda não sabia do recuo de Marcelino quando questionado sobre o assunto. “Não estava sabendo. Mas isso é possível com qualquer um dos lados. Se os candidatos quiserem desistir, é uma escolha deles. Mas, independentemente, a chapa que fica precisa ter a maioria dos votos dos nove clubes aptos ao voto”, acrescentou Lodetti.

O número de votos não deve ser problema para Gomes. Na reunião que definiu a composição da sua chapa, estavam presentes representantes de seis clubes. “Temos os votos desses e mais um que foi confirmado hoje (ontem). Achei uma atitude louvável do Nazareno. Ele viu que o nosso grupo pode fazer mais pela Larm e resolveu abrir mão. Vamos assumir esse compromisso de dar uma nova cara à liga”, completou Gomes.