Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

De uma família de futebolistas: Fernando Gil, auxiliar de Waguinho

Filho e sobrinho de ex-jogadores, assistente técnico destaca relação aberta com treinador do Tigre
Heitor Araujo
Por Heitor Araujo Criciúma - SC, 10/09/2019 - 16:07
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

A importância do auxiliar técnico está cada vez em maior evidência no futebol brasileiro. Vai desde os que ainda atuam em conjunto com os treinadores, como Alexandre Mendes no Grêmio e Paulo Turra recentemente no Palmeiras, até os que se desgarram do termo auxiliar e viraram os treinadores, como Odair Hellmann e Thiago Nunes.

No Criciúma, Wilsão foi treinador interino por um breve período e agora volta ao posto de auxiliar. Aliás, um dos auxiliares. Waguinho Dias tem uma comissão de peso: além de Wilsão, trouxe consigo Fernando Gil, profissional que trabalhou em conjunto no Tubarão.

Fernando Gil vem de uma família de futebolistas: o pai: Almir Gil, foi jogador; os tios, Tonho e Sérgio Gil, também foram. O primo de Fernando, Cléber Lúcio Gil, é árbitro assistente Fifa. 

"Dna vem do futebol, além do meu pai, tive dois tios que jogaram em alto nível. Meus primos trabalham com futebol, a família toda, comigo não foi diferente. Tentei ser atleta, quando vi que não seria de alto nível, escolhi através do estudo trabalhar com futebol", falou o auxiliar, em entrevista ao repórter Jota Éder, do Timaço da Som Maior.

Fernando trabalha para construir a própria imagem no futebol. Foi auxiliar no Figueirense, na base e no profissional, passou por Joinville, Camboriú, Barra, Avaí. No Tubarão, conheceu Waguinho Dias. "A gente criou esse laço de amizade, a gente troca muita ideia sobre futebol", explicou. 

O profissional destacou a abertura que tem com Waguinho e também elogiou Wilsão, membro da comissão permanente do Tigre. "Penso futebol da mesma maneira que o Waguinho. A gente gosta de jogar para frente. O papel do auxiliar nem sempre é dizer amém pro treinador, tu tem que ter o contraponto, causar um pouco de dúvida na cabeça do treinador. Claro que a opinião final é do treinador, mas  o Waguinho tá sempre aberto a novas ideias, o próprio Wilsão que é um baita profissional", finalizou.